Quando, a partir do meio-dia de 23 de julho, sexta-feira, a bandeira portuguesa desfilar na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos, as cores da Universidade do Porto também vão estar em destaque em Tóquio. A “culpa” é de Ana Catarina Monteiro, Carlos Nascimento, Filipa Martins, João Geraldo, Raquel QueirósCarla Salomé Rocha, Diogo e Pedro Costa, Pedro Fraga e Rui Bragança, os dez atuais e antigos estudantes da U.Porto que vão participar na edição deste ano do maior evento desportivo do mundo.

Dos cinco atuais estudantes com presença confirmada na capital japonesa, a primeira a reservar bilhete foi Filipa Martins que, na sua segunda participação olímpica, vai tentar melhorar o 37.º lugar alcançado no concurso All Around de Ginástica Artística dos Jogos do Rio 2016. Para isso, a melhor ginasta portuguesa de sempre e estudante da licenciatura em Ciências do Desporto da Faculdade de Desporto (FADEUP) parte com a ambição de atingir a final All Around, contando para tal com um novo elemento técnico na prova de paralelas assimétricas, recentemente incluído no código de pontuação internacional e batizado com o seu nome.

A “sprintar” para os seus primeiros Jogos está por sua vez Carlos Nascimento, também ele estudante de Ciências do Desporto na FADEUP. Aos 26 anos, o tricampeão nacional dos 100 metros chega a Tóquio 2020 com objetivos bem definidos: desfrutar da competição, terminando com um recorde pessoal ou melhor marca do ano, e possivelmente o apuramento para as meias-finais.

Será também uma estudante de Ciências do Desporto a “apadrinhar” a primeira participação de Portugal na prova de Cross Country Olímpico (XCO), uma das várias modalidades que fazem a sua estreia olímpica em Tóquio. A honra cabe a Raquel Queirós, a BTTista que, depois de vários resultados de topo na Taça do Mundo da modalidade, espera terminar a prova japonesa entre as primeiras 15 classificadas.

Entre as estreias, há ainda a assinalar a da nadadora Ana Catarina Monteiro. Para os Jogos Olímpicos, a vencedora do prémio de Atleta Feminino do Ano da IX Gala do Desporto da U.Porto e finalista do Mestrado Integrado em Bioengenharia da Faculdade de Engenharia (FEUP) aponta como metas “bater o recorde nacional e estar pelo menos nas meias-finais”.

À espreita da primeira participação olímpica estará ainda João Geraldo, um dos quatro “mosqueteiros” da equipa masculina de ténis de mesa de Portugal que vai procurar melhorar o 9.º lugar alcançado no Rio 2016. Atual campeão nacional individual, o estudante do Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão Industrial da FEUP parte como suplente dos consagrados João Monteiro, Marcos Freitas e Tiago Apolónia.

Alumni em busca da glória olímpica

Para esta representação recorde da U.Porto nos Jogos Olímpicos contribuem ainda cinco antigos estudantes, três dos quais “repetentes” nas Olimpíadas. É o caso de Pedro Fraga, mestre em Treino de Alto Rendimento Desportivo pela FADEUP, que chega a Tóquio depois de ter sido finalista (8.º e 5.º classificado) na prova de LM2x de Pequim 2008 e Londres 2012. Fazendo dupla com Afonso Costa, o atleta portuense parte para os seus terceiros Jogos com o objetivo de terminar no “top 10”.

Quem também já está familiarizada com as sensações olímpicas é Carla Salomé Rocha, a primeira atleta do Atletismo a conseguir marca de qualificação para Tóquio 2020. Depois do 26.º lugar na prova dos 10 000m, no Rio 2016, a antiga estudante de Ciências do Desporto da FADEUP viaja para o Japão com o objetivo de fazer melhor, desta vez na maratona.

De regresso aos Jogos, e logo com a responsabilidade de inaugurar a participação de Portugal na competição (a 24 de julho) está igualmente Rui Bragança, o ex-vice campeão mundial e europeu de Taekwondo que conta no currículo com uma pós-graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina (FMUP). Depois do honroso 9.º lugar no Rio 2016, o objetivo para Tóquio 2020 passa por melhorar essa classificação.

Ambição não falta também aos irmãos e velejadores Diogo e Pedro Costa, ambos antigos estudantes de Engenharia Civil da FEUP, que vão representar Portugal, pela primeira vez, na competição de Vela – classe 470 – dos Jogos Olímpicos. Em Tóquio, os atuais vice-campeões mundiais esperam “fazer o melhor possível, ganhar experiência para 2024 e honrar da melhor maneira possível todos os portugueses”. Para isso, apontam à qualificação à regata das medalhas e, a partir daí, “aumentar a ambição”.

Para além dos atletas, a presença da U.Porto nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 é ainda maior se alargada aos treinadores presentes na competição. É o caso de Paulo Pereira, o antigo estudante da FADEUP a quem caberá  liderar – juntamente com Paulo Fidalgo, treinador-adjunto e também ele alumnus de Desporto – a seleção nacional de Andebol na sua primeira participação olímpica de sempre.

Os Jogos Olímpicos a par e passo

Inicialmente agendados para 2020, mas adiados devido à pandemia de Covid-19, os Jogos Olímpicos  de Tóquio vão ser disputados entre 21 de julho e 8 de agosto de 2021. Portugal estará representado por 92 atletas, em 17 modalidades.

O calendário completo (sujeito a alterações) das provas dos estudantes e alumni da U.Porto pode ser consultado aqui.

Os resultados da delegação portuguesa podem também ser acompanhados no website e nas redes sociais do Comité Olímpico de Portugal.