U.Porto celebra o Dia Internacional da Língua Materna

Ao longo da tarde, vai-se celebrar a diversidade linguística e cultural no edifício da Reitoria da U.Porto. (Foto: Egidio Santos/U.Porto)

A Universidade do Porto comemora no próximo dia 21 de fevereiro, o Dia Internacional da Língua Materna, com uma sessão pública no Salão Nobre da Reitoria.

A abertura das comemorações está marcada para as 15h30 e ficará a cargo do Pró-Reitor da Universidade do Porto para a Promoção da Língua Portuguesa e Inovação Pedagógica, João Veloso. O ponto alto da sessão vai ser a apresentação do Portal do Português da U.Porto. Antes, alguns jovens da Comunidade do Bangladesh no Porto vão protagonizar uma leitura de poemas – em bengalês e com tradução portuguesa – de Nazrul, considerado o Poeta Nacional do Bangladesh.

O programa inclui também as intervenções de Sónia Rodrigues e de Fátima Silva, docentes da Faculdade de Letras (FLUP) e investigadoras do Centro de Linguística da Universidade do Porto (CLUP), que vão falar, respetivamente, sobre políticas educativas em língua materna em Portugal e integração escolar de minorias linguísticas, e sobre os cursos presenciais e não presenciais de Português Língua Estrangeira, oferecidos na U.Porto. Para o final está ainda prevista uma intervenção de um responsável da Fundação Calouste Gulbenkian pela Plataforma9, o Portal Cultural do Mundo de Língua

Portuguesa.

A entrada é livre.

Sobre o Dia Internacional da Língua Materna

dia 21 de fevereiro foi reconhecido pela UNESCO como Dia Internacional da Língua Materna na década de 1990, em homenagem ao grupo de estudantes da Universidade de Daca (então Paquistão) que nesse dia, em 1952, se manifestou nas ruas pelo direito a ter aulas e a usar a língua bengalesa na sua universidade. A manifestação foi reprimida com violência pela polícia paquistanesa e provocou dezenas de mortos, precipitando o processo de independentização do Bangladesh.

O Dia Internacional da Língua Materna é um dia em que se pretende celebrar o direito de todos os homens e mulheres a usarem livremente as sua línguas maternas em todas as esferas das suas vidas, assim como alertar as autoridades dos diversos países do mundo para os direitos das minorias linguísticas neles residentes.

Em Daca, capital do Bangladesh, existe um monumento aos mártires da língua bengalesa, de grande valor simbólico. Há réplicas em miniatura desse monumento espalhadas por diversas cidades do mundo, incluindo no Porto (no Largo da Porta Chã, perto da Sé Catedral). Esta miniatura do memorial foi oferecida ao Porto pela Comunidade do Bangladesh residente na cidade e é aí que, todos os anos, no dia 21 de fevereiro, a comunidade bengalesa comemora o dia da defesa da sua língua materna.