A integração no ensino superior representa um grande desafio para todos aqueles que ingressam anualmente nas universidades portuguesas. Mas nem sempre o processo é o mais “saudável”. Foi a pensar nisso que a Universidade do Porto lançou o Programa de Mentoria Interpares, uma iniciativa pioneira que, em menos de um ano, já envolveu perto de 1000 estudantes e mais de 80 professores da U.Porto no apoio a mais de 1500 colegas “recém-chegados” à instituição.

O processo é tão simples quanto eficaz. A partir da experiência já vivida, os mentores (estudantes mais velhos) disponibilizaram-se voluntariamente a ajudar os novos colegas (mentorados) – incluindo o estudantes internacionais – em todo o processo de integração. O objetivo é contribuir para que todos tenham uma melhor experiência no contexto académico, promovendo o convívio, a partilha e intercâmbio cultural.

Na prática, todos os mentores passaram por um processo de “formação”, de forma a garantir que o acompanhamento é feito devidamente. Seguiu-se o trabalho no terreno, que incluiu a participação nas atividades de receção e acolhimento aos novos estudantes. E prosseguiu com a dinamização de encontros-convívio, piqueniques, atividades de match (emparelhamento), visitas guiadas à cidade, atividades culturais (teatro e expressão corporal, origami, graffiti), entre outras.

A decorrer em 10 das 14 faculdades da U.Porto – CiênciasCiências da Nutrição e Alimentação (FCNAUP)Desporto (FADEUP)Engenharia (FEUP)Farmácia (FFUP)Letras (FLUP), Medicina Dentária (FMDUP), Psicologia e de Ciências da Educação (FPCEUP) e no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) – o programa abrange atualmente mais de 2500 estudantes (973 mentores e 1557 mentorados) de 84 ciclos de estudos (incluindo 46 licenciaturas e mestrados integrados).

“Os números demonstram uma muito significativa e rápida adesão, evidenciando o reconhecimento da importância do Programa e a disponibilidade de muitos docentes e estudantes para se envolverem na sua concretização”, pode ler-se no Relatório Intercalar do programa.

O objetivo passa por garantir que os novos estudantes se sintam melhor integrados a nível académico, pessoal, social e cultural. (Foto: João Ribeiro/U.Porto)

Para que se sintam “em casa””

Mas mais do que os números, são os testemunhos dos estudantes envolvidos que demonstram o sucesso da iniciativa. “A Mentoria é um projeto que nos potencia, porque nele integram capacidades sociais e humanas. (…) É colocar-se no lugar dos outros, mostrando empatia por aqueles que estão numa situação em que nós próprios já estivemos”, descreve uma das mentoras do projeto.

E se o programa traz vantagens aos mentores, elas chega também aos mentorados, muitos dos quais estão também a adaptar-se a um novo país. “Inscrevi-me na Mentoria pois sou estudante internacional e senti diferença do método de ensino e da forma como a faculdade aqui em Portugal funciona, portanto foi uma maneira de conseguir orientação. Estou muito satisfeita com a Mentoria”.

Em resumo, diz outra mentora, “é um programa enriquecedor e que fomenta o espírito de entreajuda entre alunos de vários anos da faculdade, contribuindo para melhorar o espírito académico e para que todos nos sintamos apoiados e ’em casa'”.

Partilha de experiências

Estas e outras experiências vão ser partilhadas já no próximo dia 10 de fevereiro, na Faculdade de Engenharia da U.Porto, durante o I Encontro do Programa Mentoria Interpares.

Com início marcado para as 16h30, este pretende ser um momento de encontro e partilha de experiências para as centenas de mentores envolvidos no programa. Do programa do evento, que contará com a participação do Reitor da U.Porto, destaca-se igualmente a presença do músico Pedro Abrunhosa, que dará o seu próprio testemunho.

O encontro é aberto a todos os estudantes envolvidos no programa (mentores e mentorados). Os interessados podem inscrever-se aqui.