Primeiro computador da U.Porto comemora 50 anos

Destinado sobretudo ao cálculo científico, o NCR Elliott 4100 serviu toda a Universidade e manteve-se ativo durante 15 anos.

Celebram-se em 2018 os cinquenta anos da chegada à Faculdade de Ciências da Universidade do Porto daquele que foi o primeiro computador digital automático adquirido por uma universidade portuguesa. Chamava-se NCR Elliott 4100, ficou para a história como “Hermengarda” e vai ser recordado, ao longo do ano, através de um ciclo de eventos evocativos organizados pela FCUP.

Adquirido por 20 000 contos (cerca de 100 000 euros na moeda atual) num processo liderado por Rogério Nunes, Professor Catedrático da FCUP e investigador na área da Matemática Aplicada, o NCR Elliott 4100 de 16 kB (24 bits) foi entregue à faculdade em dezembro de 1967, e instalado no rés-do-chão da Biblioteca Geral da FCUP, no atual edifício da Reitoria. Seria, porém, preciso esperar até 15 de fevereiro de 1968 para que o computador fosse apresentado publicamente numa cerimónia que contou com a presença do então ministro da Educação, Inocêncio Galvão Teles, e que serviu para inaugurar o LACA – Laboratório de Cálculo Automático da FCUP, a unidade pioneira liderada por Rogério Nunes e à qual cabia prestar apoio técnico e administrativo aos utilizadores do computador.

Destinado sobretudo ao cálculo científico, o computador atraiu rapidamente a adesão da comunidade académica da U.Porto. Nele ter-se-ão iniciado na informática cerca de três mil alunos. A estes juntam-se os muitos investigadores – membros do Grupo de Matemática Aplicada, mas também físicos, biólogos e médicos – que utilizaram o Elliott 4100 para desenvolver importantes avanços pedagógicos e científicos.

O computador foi instalado em  instalações provisórias da Biblioteca Geral da FCUP, então localizada no atual edifício da Reitoria.

Apesar da sua grande dimensão, o Elliott 4100 de 16 KB era, à época, muito evoluído tecnologicamente. Ainda assim, e à luz dos padrões atuais, “era pouco mais do que uma máquina de calcular”, conta Carlos Madureira, professor catedrático da Faculdade de Engenharia (FEUP), num artigo da revista U.Porto ALUMNI nº 13 [especial Centenário], dedicado ao primeiro computador da Universidade. O mesmo docente recorda que o computador ganhou, entre os seus utilizadores, um epíteto feminino – “Hermengarda” – “devido ao seu comportamento temperamental. Ou seja, a máquina por vezes empancava e os seus processos rudimentares, vagarosos e complicados punham os nervos em franja a muitos utilizadores”, lê-se.

Responsável pela formação de várias gerações de cientistas e engenheiros, o Elliott 4100 funcionou ininterruptamente durante 15 anos (de 1967 a 1982), tendo resistido ao incêndio que consumiu parte do Edifício Histórico da U.Porto (atual Reitoria), a 19 de abril de 1974, e que precipitaria a sua transferência para novas instalações na Rua das Taipas. Não resistiu, contudo, à evolução. Em 1982, acabaria por ser substituído por um novo modelo – o Cyber 170-720 – mais potente e que utilizava linguagens mais evoluídas para a época.

A história do Elliott 4100 permaneceria guardada até 2013, ano em que a biblioteca pessoal de Rogério de Sousa Nunes (1920-1999) e da esposa, Adriana Sousa Nunes, foi doada à Biblioteca da FCUP por vontade expressa do casal. De então para cá, o tratamento desse acervo – que inclui mais de 1400 livros e espécies bibliográficas e documentais de grande valor científico e académico – vem sendo feito por Francisco Calheiros, professor aposentado do Departamento de Engenharia Civil da FEUP, que tem dedicado especial atenção ao levantamento de todo o processo que levou à aquisição, instalação e operação do NCR Elliott 4100.

É esse espólio que serve agora de base ao ciclo de eventos evocativos preparados pela FCUP. O evento inaugural terá lugar já no próximo dia 15 de fevereiro, data em que se assinalam os 50 anos em que o NCR Elliot 4100 foi apresentado publicamente. Agendada para as 15h00, no Departamento de Matemática da FCUP, a sessão será coordenada pelos docentes Francisco Calheiros e Maria do Carmo Miranda Guedes, e terá a intervenção de vários dos protagonistas que, há meio século, testemunharam a chegada do primeiro computador à Universidade do Porto.

As celebrações prosseguem a 15 de março, com a abertura de uma exposição evocativa na Biblioteca da FCUP, que incluirá a apresentação de várias partes do NCR Elliott 4100.