Maior residência universitária da U.Porto vai ser reabilitada

A Residência Alberto Amaral é a maior das nove residências da U.Porto, alojando atualmente 217 estudantes. (Foto: SASUP)

A Universidade do Porto lançou esta sexta-feira o concurso público para a realização da empreitada de reabilitação da Residência Alberto Amaral, um projeto que permitirá recuperar mais de uma centena de quartos que estão encerrados por falta de condições de habitabilidade. As obras deverão iniciar-se até final de 2019, implicando um investimento de cerca de 2,5 milhões de euros.

Situada na Rua D. Pedro V, junto à Faculdade de Letras (Polo III), a Residência Alberto Amaral é a maior das nove residências da U.Porto, disponibilizando à comunidade estudantil um total de 332 quartos. Desses, porém, cerca de um terço (112) estão atualmente encerrados devido a danos causados por infiltrações estruturais do edifício.

A reabilitação prevista terá precisamente como objetivo principal a recuperação e reabertura desses quartos à comunidade. O processo arranca agora com o lançamento do concurso público para seleção da empresa que ficará responsável pela obra, estando o arranque da mesma dependente da conclusão de todos os passos legais obrigatórios. Contudo, estima-se que a obra possa arrancar no terreno em setembro de 2019, tendo a duração prevista de cerca de um ano e meio.

A empreitada – que não implicará o encerramento da residência – vai incluir intervenções em diversas patologias identificadas nos vários blocos do edifício, nomeadamente na envolvente exterior.

Composto por sete blocos, o complexo tem vista privilegiada sobre o Rio Douro e a zona ribeirinha de Vila Nova de Gaia. (Foto: SASUP)

Entre as intervenções necessárias incluem-se o tratamento e requalificação das coberturas (incluindo a substituição do sistema de impermeabilização existente e o  reforço da camada de isolamento térmico), paredes, tetos, terraços e varandas e pavimentos. Estão ainda previstas a correção dos sistemas de drenagem de águas pluviais, a melhoria de condições de segurança contra incêndios, o melhoramento dos sistemas de ventilação dos quartos e a remodelação integral dos equipamentos sanitários.

Recorde-se que a U.Porto disponibiliza, através dos seus Serviços de Ação Social (SASUP), 9 residências universitárias com capacidade para acolher cerca de 1200 estudantes. Estas unidades de alojamento destinam-se sobretudo a estudantes a frequentar uma licenciatura, mestrado ou mestrado integrado que, pelas suas condições sócio-económicas, pela distância ou dificuldade de transporte, não possam residir com o agregado familiar e necessitem de alojamento para prosseguir os seus estudos.