U.Porto com vista para o Trânsito de Mercúrio

Composição de imagens do Trânsito de Mercúrio de 7 de maio de 2003, observado no Planetário do Porto - Centro Ciência Viva. Nesta imagem pode ver-se o caminho que o planeta Mercúrio percorreu em frente ao disco solar. Imagem: Ricardo Cardoso Reis (IA e Planetário do Porto).

Composição de imagens do Trânsito de Mercúrio de 7 de maio de 2003, observado no Planetário do Porto. Nesta imagem pode ver-se o caminho que o planeta Mercúrio percorreu em frente ao disco solar. (Imagem: Ricardo Cardoso Reis / IA e Planetário do Porto).

É já na próxima segunda-feira, dia 9 de maio, que Mercúrio irá cruzar o disco solar, um fenómeno raro que já não é visível em Portugal desde 2003. Por isso mesmo, o Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), o Planetário do Porto – Centro Ciência Viva e o Planetário Calouste Gulbenkian – Centro Ciência Viva, vão organizar atividades abertas ao público, em Lisboa e no Porto, que vão da observação do evento com telescópios, até conversas com investigadores do IA.

Com início ao meio-dia, e se o tempo o permitir, o público poderá observar o Sol em segurança, em Lisboa e no Porto, através de telescópios munidos de filtros apropriados, de modo a poderem acompanhar o movimento de Mercúrio diante do disco solar. O trânsito terá a duração total de cerca de sete horas e meia, terminando por volta das 19h45.

No Porto, as atividades iniciam ao meio-dia, com observações do Sol e do trânsito de Mercúrio com telescópios, no edifício do Planetário do Porto e junto à Reitoria da Universidade do Porto. Dentro da cúpula do planetário passará em contínuo, durante todo o evento, uma mini-sessão imersiva, produzida pelo Planetário do Porto especialmente para o evento, com sessões comentadas a cada hora.

A partir das 18h00, no auditório do Planetário do Porto, os investigadores do IA Sérgio Sousa e Susana Barros (IA e Universidade do Porto) e o estudante de doutoramento João Faria (IA e Faculdade de Ciências da Universidade do Porto) estarão disponíveis para uma conversa/debate dedicada ao tema dos trânsitos planetários, e da importância deste método na procura de planetas à volta de outras estrelas.

Em Lisboa, no lanetário Calouste Gulbenkian, os visitantes serão acompanhados por investigadores do IA, enquanto percorrerem um modelo do Sistema Solar à escala produzido pelo IA. Poderão também observar Mercúrio com telescópios e através de um de apenas nove instrumentos que foram construídos a nível mundial, especificamente para a expedição científica de observação do trânsito de Vénus em 2012.

Esta expedição é o tema do documentário que será projetado na cúpula do Planetário Calouste Gulbenkian, a partir das 21h30. Pedro Machado e João Retrê (IA e Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa), os dois investigadores do IA que integraram a expedição, estarão disponíveis no local, para conversar com os visitantes.

Um trânsito de Mercúrio é um fenómeno raro, tendo ocorrido pela última vez a 8 de novembro de 2006. Nessa altura teve início por volta das 19h00 e por isso não foi possível observá-lo a partir de Portugal. No nosso país, o último trânsito de Mercúrio observável foi já a 7 de maio de 2003. O trânsito de Mercúrio volta a ser visível daqui a cerca de três anos e meio, no dia 11 de novembro de 2019.