Obra de Bordalo Pinheiro recriada por estudantes da FBAUP

"Bordalo Pinheiro: 170 anos depois por alunos de Belas Artes"Reconhecido essencialmente pelo seu trabalho como caricaturista, Rafael Bordalo Pinheiro (1846 – 1905) deixou também uma vasta obra como ceramista. A partir do próximo dia 13 de julho, e até final de agosto, é essa faceta menos conhecida que pode ser descoberta no Edifício da Reitoria da Universidade do Porto pela mão de um grupo de estudantes da Faculdade de Belas Artes da U.Porto (FBAUP), protagonistas da exposição “Bordalo Pinheiro: 170 anos depois por alunos de Belas Artes”.

Integrada nas comemorações dos 170 anos do nascimento de Rafael Bordalo Pinheiro, esta exposição inédita vai reunir cerca de duas dezenas de trabalhos em vidro e cerâmica, produzidos por estudantes dos diferentes ciclos de estudo da FBAUP. Em cada um dos trabalhos, os novos talentos de Belas Artes apresentam a sua interpretação pessoal sobre a obra do artista que eternizou o “Zé Povinho”.

"Bordalo Pinheiro: 170 anos depois por alunos de Belas Artes"

Exposição reúne cerca de duas dezenas de trabalhos que ilustram a visão dos estudantes da FBAUP sobre a obra de Bordalo Pinheiro. (Foto: DR)

Comissariada por Teresa Almeida e Leonor Dupic, a exposição resulta de uma organização conjunta da Unidade de Cultura da Reitoria da U.Porto e da FBAUP, com o apoio da Museu Bordalo Pinheiro.

A abertura de “Bordalo Pinheiro: 170 anos depois por alunos de Belas Artes”está prevista para as 17h00 do dia 13 de julho, quarta-feira. Após este momento inaugural, a exposição pode ser visitada até 31 de agosto, de segunda a sexta-feira, entre as 10h00 e as 18h00, na sala de exposições temporárias da Reitoria da U.Porto.

A entrada é livre.

Sobre Bordalo Pinheiro

Natural de Lisboa, cidade onde nasceu a 21 de março de 1846, Rafael Bordalo Pinheiro foi um dos maiores impulsionadores da caricatura em Portugal. Celebrizado pela representação popular do Zé Povinho, apresentada pela primeira vez em 1875 e que se veio a tornar num símbolo do povo português, notabilizou-se também pelas caricaturas inspiradas em personalidades do mundo da literatura e da política da época. Com uma obra vasta dispersa por dezenas de livros e publicações, distinguiu-se ainda como desenhador, aguarelista, ilustrador, decorador, jornalista e ceramista.

O seu trabalho como ceramista ganhou uma dimensão assinalável a partir de 1884, quando assumiu a chefia do setor artístico da Fábrica de Faianças das Caldas da Rainha . Entre as temáticas mais comuns dass suas peças (pratos, azulejos, vasos, jarrões, bilhas, entre outras) destacam-se os motivos ligados à Natureza (flores, frutos, mamíferos, peixes e mariscos, insectos, répteis e batráquios, etc.) mas também figuras como o Zé Povinho, a Maria Paciência, a ama das Caldas, entre outras.

Atualmente, grande parte da sua obra encontra-se reunida no Museu Rafael Bordalo Pinheiro, em Lisboa.