Melhores práticas de inovação pedagógica premiadas pela U.Porto

ExcelênciaPegagógica2015_900x600

Paulo Vasconcelos, Sofia Castro Gothen, Manuel Firmino Torres e Armando Jorge Sousa (da esq. para a dir) receberam das mãos do Reitor da U.Porto o Prémio de Excelência Pedagógica

Armando Jorge Sousa e Manuel Firmino Torres, da Faculdade de Engenharia, e Paulo Vasconcelos e Sofia Castro Gothen, da Faculdade de Economia, foram os docentes distinguidos com o Prémio Excelência Pedagógica 2014/15, entregue na cerimónia de comemoração do Dia da Universidade do Porto.

As duas equipas de docentes foram os vencedores ex aequo da edição deste ano deste prémio que visa reconhecer e distinguir a excelência da prática pedagógica realizada pelos professores da Universidade do Porto. Foram seleccionados por um júri dos seus pares entre um total de 14 candidaturas e após terem apresentado o seu projeto em sessão pública realizada a 17 de março.

Armando Jorge Sousa e Manuel Firmino Torres foram distinguidos pelo seu projeto “Dispositivos Técnico-Pedagógicos no Projeto FEUP”.  Nascido no ano letivo 2004/2005, o Projeto FEUP assinala precisamente 10 anos de existência e surgiu inicialmente com o objetivo de, por um lado, promover uma fácil integração dos estudantes na vida académica e no campus e, por outro, proporcionar uma revisão dos conhecimentos de Matemática, Física e Química a nível do ensino secundário. A unidade curricular era liderada pelo professor Alexandre Leite, do departamento de Engenharia de Minas, sob a tutela do então diretor da Faculdade, Carlos Costa.

Ao longo do desenvolvimento do Projeto FEUP, que conquistou logo na sua segunda edição um lugar no plano de estudos académico de todos os cursos da FEUP, as atividades foram sendo limadas e, atualmente, centra-se nas atividades de integração dos estudantes para que entrem na faculdade com o “pé direito”. Pretende-se assim, através de atividades pedagógicas, receber e integrar no ambiente FEUP os estudantes recém-chegados, dar a conhecer os principais serviços disponíveis, dar formação inicial nas áreas conhecidas como “soft skills” (trabalho em equipa, comunicação, entre outros), alertar para a sua importância ao longo da carreira em engenharia e discutir cientificamente um tema/resolver um projeto de dificuldade limitada.

O Projeto FEUP envolve, em números aproximados,cerca de 1000 estudantes recém-chegados e 150 equipas de projeto (estudantes 1º ano), 50 monitores (estudantes 4º e 5º ano), 50 supervisores (professores), 10 formadores, 9 cursos e respetivos coordenadores, assim como a Associação de Estudantes da FEUP (AEFEUP), técnicos, administrativos e diversos serviços da Faculdade de Engenharia.

Os resultados alcançados com a introdução destas inovações comprovam os ganhos significativos ao nível da integração dos estudantes e em relação à facilitação/promoção das aprendizagens, expressos sobretudo na obtenção de melhores resultados de aprendizagem e de mais elevados índices de satisfação dos estudantes relativamente aos processos ensino-aprendizagem-avaliação em que estão inseridos. Tudo istoevidencia, neste caso, uma clara evolução dos processos educativos utilizados no Ensino Superior.

Já Paulo Vasconcelos e Sofia Castro Gothen apresentaram-se a concurso com o projeto “Motivação e Inclusão para o Sucesso numa unidade curricular basilar”. Os docentes da FEP são responsáveis pela unidade curricular Matemática I do primeiro ano da licenciatura em Gestão e propuseram-se reformular os conteúdos e estratégias pedagógicas da cadeira de forma a melhorar as taxas de aprovação de uma das cadeiras com mais baixo número de estudantes que completavam o processo de avaliação.

Após um longo período de reflexão e troca de ideias entre docentes e estudantes, os dois premiados elaboraram estratégias e ferramentas pedagógicas com vista a motivar e tornar os estudantes parte essencial da sua aprendizagem e sucesso. Para cumprir esse desígnio, Paulo Vasconcelos e Sofia Castro Gothen reformularam os conteúdos da unidade curricular Matemática I segundo a estratégia de blended learning, onde as aulas e os períodos de orientação tutorial são complementados com materiais de leitura, exercícios e fóruns de debates disponíveis na plataforma de e-learning da U.Porto.

Desta forma, alicerçando parte do processo de ensino e aprendizagem em competências naturais nos estudantes, nomeadamente ao nível da utilização do software e de recursos digitais, os docentes construíram uma unidade curricular diferente da que assustava os estudantes ao ponto da desistência.

Nos últimos três anos letivos, em que esta estratégia foi colocada em prática, a unidade curricular Matemática I registou crescentes taxas de sucesso académico, com mais de 78% dos estudantes inscritos a submeterem-se à avaliação e registando uma taxa de aprovação de 88% entre os estudantes avaliados.

Os quatro vencedores do Prémio Excelência Pedagógica 2014/15 receberam o respetivo diploma das mãos do reitor Sebastião Feyo de Azevedo durante a cerimónia do Dia da Universidade do Porto 2015. Os quatro docentes vão ainda repartir o prémio pecuniário de 5000 euros pelos seus esforços de inovação pedagógica.