Estudantes da FEUP participam em concurso internacional de pontes metálicas

(foto: D.R.)

A equipa está confiante na sua ponte “sardinha” inspirada na cidade do Porto (foto: D.R.)

João Pedro Ferreira, Ana Rita Barbosa, Rita Silva, Alexandre Polícia e Sérgio Vallejo são os nomes dos cinco estudantes do Mestrado Integrado em Engenharia Civil da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) que assinam um dos projetos candidatos ao Concurso Internacional de Pontes Metálicas, “Design&Construct 2015, DECO”. A acontecer no próximo dia 12 de abril em Istambul, Turquia, a competição acolhe projetos de todo o mundo e pretende premiar as melhores e mais engenhosas construções da área da Engenharia Civil, no ramo das estruturas.

Impulsionado pelo apoio prestado pela Metaloviana, mas também da International Association of Civil Engeneering Students (IACES), da FEUP e de várias empresas de construção portuguesas, o grupo demorou três meses para conceber e dimensionar a ponte metálica. Um processo distribuído da seguinte forma: dois meses foram dedicados ao dimensionamento e desenho do projeto, os outros 30 dias foram totalmente preenchidos com a produção da estrutura da ponte propriamente dita.

Como em todos os projetos, nem tudo corre como planeado, surgindo sempre alguns imprevistos. A conformidade do projeto às exigências apresentadas no regulamento, a abertura das empresas para o apoio a este tipo de projetos e a própria inexperiência da equipa em tratar de questões burocráticas relacionadas com o envio e transporte da ponte para o exterior, neste caso para a Turquia, ditaram alguns atrasos, mas que foram ultrapassados.

A competição divide-se em dois grandes momentos de avaliação: a componente estética e a parte estrutural. Esta última inclui a avaliação das deformações da ponte a um carregamento regulamentar, o peso da mesma, a conformidade ao regulamento e a eficiência do processo construtivo concretizado no tempo de montagem da ponte. Todos estes aspetos ditarão um custo à estrutura que deverá ser o menor possível. Para além do reconhecimento internacional, a equipa vencedora obtém um prémio de 3.000 euros e o segundo e terceiro classificado recebem um prémio de 2.000 euros e 1.000 euros, respetivamente. O vencedor do concurso será, por isso, o projeto com o menor custo. A componente estética é também tida em conta, existindo um prémio no valor de 500 euros para o projeto melhor classificado nesta valência.

Confiante de que vai alcançar “uma boa classificação”, a equipa está empenhada em “divulgar internacionalmente não só o nome da Faculdade e da IACES como do próprio concurso”, que acreditam ser “de enorme interesse para os estudantes de Engenharia Civil”.