UNIRAID: A competição onde ganhar é o menos importante

O carro da equipa é um Fiat Panda de 1989 (foto: D.R.)

São 08h00 da manhã de dia 22 de fevereiro. Está tudo a postos para começar a viagem. Mochilas prontas, material empacotado, carro atolado. Os corações de Guilherme Órfão e Diogo Matos, estudantes do 4.º ano de Engenharia Mecânica da FEUP, começam a bater mais rápido e os níveis de ansiedade sobem – até porque só voltam a ver a cidade do Porto no início do mês de março.

Mas então, qual o destino e objetivo da viagem? A dupla de estudantes ruma ao interior de Marrocos para participar na 6.ª edição da UNIRAID, uma expedição ibérica que desafia estudantes universitários a percorrer o país de norte a sul e entregar 30 kg de bens solidários às populações mais desfavorecidas. Material escolar, roupa, brinquedos ou alimentos são sempre os bens mais procurados.

Foi cerca de um ano de organização, preparação e muito, muito trabalho de mecânica no carro – afinal, este “Panda” é mais velho que os próprio participantes (nascidos em 1996)! Para conseguirem ter tudo pronto a tempo, foram muitas as horas sem dormir, as diretas passadas numa oficina gentilmente cedida, e muitos os apoios conseguidos. Mesmo com todos os problemas que iam surgindo, nada os fez desistir.

O pontapé de saída da UNIRAID 2018 aconteceu a 24 de fevereiro, em Tânger, onde foram organizadas várias comitivas, de acordo com as diferentes nacionalidades inscritas. No total de cerca de 100 veículos participantes, o grupo dos portugueses contou com cerca de 11.  A partir deste momento, e acontecesse o que acontecesse, o lema da competição passa por nunca deixar um carro da comitiva para trás – entreajuda e solidariedade em primeiro lugar!

Foram muitas as peripécias vividas ao longo das sete diferentes etapas. Problemas técnicos no carro, algumas questões mecânicas, muito cansaço e uma série de imprevistos que todos os dias surgiam. Até uma tempestade no deserto Guilherme e Diogo enfrentaram, o que os impediu de dormirem nas tendas previamente montadas, conforme os planos originais. Valeu-lhes o seu espírito de sacrifício, o famoso “desenrascanso” português e os conhecimentos que têm vindo a adquirir ao longo das suas formações académicas.

O momento da entrega dos bens é o culminar da competição (foto: D.R.)

E afinal quem ganhou a competição? Quem chegou primeiro? O melhor disto tudo é que ninguém faz ideia – mas também não estão minimamente preocupados com isso. “A verdadeira vitória é termos a oportunidade de ver as caras de felicidade dos meninos do interior de Marrocos a receber uma simples caneta ou bola como se da coisa mais importante do mundo se tratasse” – dizem, com orgulho.

Questionados sobre se voltariam a participar numa competição deste género, responderam em uníssono e sem hesitar: claro que sim! “Não só participaríamos novamente como recomendamos a todos os nossos colegas que o façam também, pela aventura em si, mas também pela oportunidade de vermos o mundo de outra perspetiva.”

Sobre o UNIRAID

Criado em 2012, a competição UNIRAID desafia estudantes universitários de toda a península ibérica a aliarem a uma compteição amigável os valores de solidariedade e de entreajuda. Destinado a jovens entre os 18 e os 28 anos de idade, a prova tem como requisito a utilização de carros com mais de 20 anos, sem tração às quatro rodas e que tenham, no máximo, 1300 de cilindrada. O destino é sempre o mesmo – Marrocos – e o número de etapas também – sete no total.

O grande objetivo desta iniciativa passa por proporcionar uma experiência de vida única, alertar para as necessidades de populações mais desfavorecidas e promover o sentido de entreajuda entre os seus participantes.