A artista plástica Joana Vasconcelos e o cineasta Edgar Pêra vão juntar-se esta sexta-feira, no dia 11 de outubro, Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADEUP), para uma conversa sobre Paulo Cunha e Silva, Figura Eminente Universidade do Porto 2019.

Tendo como mote “O Conhecimento entre a Dispersão e a Consistência (Lugar II)”, os dois artistas vão revisitar, ao longo de cerca de duas horas, o processo de criação da instalação “Ouro sobre Azul” (2001) e da curta-metragem “Escola do Futuro” (2003), duas obras que conceberam para a FADEUP no início do milénio, em estreita ligação com Paulo Cunha e Silva.

Para além de “desvendar” o processo criativo de dois dos nomes maiores das artes em Portugal da atualidade, esta sessão servirá igualmente para recordar o legado do antigo professor universitário e vereador da Cultura da C.M. Porto, falecido em 2015.

A sessão tem início às 18h30, na Biblioteca da FADEUP. A entrada é livre.

Com este evento cumpre-se então mais uma das “Dobras” do vasto programa de iniciativas – entre exposições, conferências, conversas, concertos, performances e  edições – que estão a marcar as comemorações da Figura Eminente da U.Porto 2019.

Iniciadas simbolicamente a 23 de março, com um concerto da Orquestra Sinfónica do Porto na Casa da Música, as celebrações tiveram como primeiro ponto alto a inauguração da exposição “À Volta do Ato Médico”, patente na Reitoria da U.Porto desde o passado dia 3 de abril.

O programa completo pode ser consultado aqui.

Sobre Paulo Cunha e Silva

Licenciado em Medicina pelo Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) e mestre em Medicina Desportiva pela Faculdade de Medicina da U.Porto (FMUP), Paulo Cunha e Silva (1962-2015) foi Professor de Anatomia no ICBAS e Professor Associado de Pensamento Contemporâneo e Corpo e Desporto no Mundo Contemporâneo na FADEUP, onde se doutorou em Ciência do Desporto.

Em paralelo com a carreira académica, foi um dos principais responsáveis pela programação do Porto 2001, presidiu o Instituto da Artes do Ministério da Cultura (2003-2005), foi coordenador científico dos Estudos Contemporâneos da Fundação de Serralves, e comissariou várias exposições relevantes. Nos últimos anos da sua vida, destacou-se no papel de vereador da cultura na Câmara Municipal do Porto (2012-2015), no âmbito do qual desenhou iniciativas marcantes como Um objeto e os seus discursosCultura em expansão ou o Fórum do futuro.

Considerado a Personalidade do Ano pelo Jornal Público e um dos 200 portugueses mais influentes pela revista Visão, Paulo Cunha e Silva foi condecorado pelo governo francês com o título de Cavaleiro da Ordem das Artes e Letras. A titulo póstumo, foi-lhe ainda atribuída a Medalha Municipal de Honra da Cidade do Porto. 

Faleceu precocemente a 11 de novembro de 2015, aos 53 anos, vítima de um enfarte do miocárdio.

Mais informações aqui, ou através do e-mail cultura@reit.up.pt.