Veniam garante 20 milhões de euros para expansão mundial

UPTEC_Veniam1

A Veniam é responsável pela criação da maior rede veicular do mundo, com a ligação entre mais de 400 autocarros da cidade do Porto. (Foto: DR)

Veniam, startup incubada no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC), acaba de receber um investimento de de 22 milhões de dólares (cerca de 20 milhões de euros) de um consórcio liderado pela Verizon Ventures com a participação da Cisco Investments, Orange Digital Ventures e Yamaha Motor Ventures. Com este financiamento de série B, a empresa pretende expandir a sua plataforma tecnológica e, simultaneamente, ampliar a sua estrutura a nível mundial.

A Veniam foi criada em 2012 por João Barros e Susana Sargento, docentes das universidades do Porto e de Aveiro, respetivamente, e está apostada em criar a “internet em movimento” (“internet of moving things”). Distinguida com números prémios e distinções a nível mundial, a tecnologia inovadora proposta pela empresa portuguesa transforma veículos em movimento em nós ativos de internet, proporcionando novas formas de aproveitar frotas comerciais e infraestruturas da cidade para melhorar os serviços e a qualidade de vida. Em 2014 a empresa criou, no Porto, a maior rede veicular do mundo, com a ligação entre mais de 400 autocarros da cidade, permitindo o acesso à rede Wi-Fi a cerca de 60 mil pessoas por mês.

João Barros é fundador e CEO da Veniam e Professor Catedrático da Faculdade de Engenharia da U.Porto. (Foto: DR)

João Barros é fundador e CEO da Veniam e Professor Catedrático da Faculdade de Engenharia da U.Porto. (Foto: DR)

Para João Barros, fundador e CEO da Veniam, “a convergência dos sistemas urbanos de mobilidade, a Internet of Things (Internet das Coisas), os dados de georreferenciação e, em breve, o veículo autónomo, representa uma disrupção total da forma como transportamos pessoas e bens”. “A Veniam tem muito orgulho em liderar esta convergência com a expansão da cobertura de rede sem fios e serviços de dados para pessoas, veículos e objetos em movimento, dando origem a novas aplicações, fluxos de receitas e modelos de negócio para operadores de telecomunicações e a chamada Indústria 4.0.”, conclui o também Professor Catedrático da Faculdade de Engenharia da U.Porto (FEUP) e diretor do polo do Porto do Instituto de Telecomunicações (IT).

A empresa dispõe atualmente de uma equipa de 40 colaboradores (30 em Portugal, seis nos Estados Unidos e quatro em Singapura), incluindo cerca 28 engenheiros portugueses dos quais 8 doutorados. Com este financiamento de série B, a Veniam pretende ampliar a sua plataforma de alta tecnologia  e expandir os serviços e modelos de negócio associados à criação, gestão e exploração de redes Wi-Fi de veículos por frotas urbanas, portos, aeroportos, fábricas e outros ecossistemas de transporte por todo o mundo. Na agenda da empresa estão cidades como Nova Iorque (Estados Unidos), Barcelona (Espanha), Londres (Inglaterra) e Singapura.

O montante agora atribuído eleva o total de capital de risco investido na Veniam a 27 milhões de dólares (cerca de 24 milhões de euros). Em 2014, a empresa já havia recebido um financiamento de série A de 4,9 milhões de dólares (cerca de 3,9 milhões de euros) de um consórcio que contava também com a participação da True Ventures, Union Square Ventures e da Cane.