Universidade ajuda a prevenir acidentes provocados por animais

Gato Selvagem (CIBIO)

Dados recolhidos pelos investigadores permitirão desenhar medidas ao nível da preservação da fauna e da prevenção dos acidentes rodoviários. (Foto: Arquivo U.Porto)

Todos os anos, são milhares os acidentes que acontecem nas estradas portuguesas, provocados por animais. Para combater este flagelo, a Universidade do Porto juntou-se ao Comando Territorial de Évora da Guarda Nacional Republicana e às universidades de Aveiro e de Évora num projeto piloto que vai decorrer até final do ano.

“Preservar a fauna, prevenir a sinistralidade” é o nome mas também o duplo objetivo de um projeto piloto  que tem como principal objetivo realizar um levantamento de todos os animais silvestres encontrados mortos nas estradas do distrito de Évora, vítimas de atropelamentos. A informação recolhida pela GNR será depois integrada numa base de dados (com identificação do animal, assim como o local, o dia e a hora) e sujeita a análise por parte dos investigadores das três universidade envolvidas, que definirão possíveis medidas a tomar para prevenir a morte de animais por atropelamento e, ao mesmo tempo, evitar que causem acidentes rodoviários.

O lançamento do projeto será acompanhado por várias ações de formação ministradas por investigadores das três universidades parceiras, destinadas aos agentes da Guarda Nacional Republicana que estarão no terreno a fazer o levantamento dos dados. O resto passa pela sensibilização dos condutores par a adopção de comportamentos preventivos, nomeadamente no período onde ocorre maior número de acidentes (entre as 18h00 e as 24 horas). Estes incluem a redução de velocidade em determinados troços e o cuidado de avisar as autoridades caso encontrem um animal, silvestre ou doméstico, na beira da estrada.

A primeira fase do projeto vai decorrer ao longo de 2015, no distrito de Évora, onde, só em 2014, terão ocorrido 112 acidentes provocados por animais. Está previsto, contudo, que a iniciativa se possa estender a todo o território nacional nos próximos cinco anos.