Talentos do ensino secundário iniciam o novo ano na U.Porto

Ao longo de uma semana, os mais de 150 participantes vão poder trabalhar lado a lado com alguns dos mais reputados investigadores nacionais. (Fotos: DR)

São alguns dos melhores alunos do ensino secundário (10.º, 11.º e 12.º anos) de todo o país e, durante a primeira semana de setembro, vão ocupar os laboratórios e salas da Universidade do Porto com a missão de desvendar alguns dos maiores mistérios do universo, resolver enigmas matemáticos ou de dar novos passos na luta contra o cancro. É esse o perfil comum aos mais de 150 participantes da Escola de Física, da Escola de Ciências da Vida e da Saúde (ECVS) e da Escola de Verão de Matemática (EVMAT), os três projetos que assinalam o regresso – e também a despedida – da edição 2018 da Universidade Júnior (UJr).

Depois de em julho passado ter aberto as portas da Universidade a mais de 6 mil alunos do 5.º ao 11.º anos, o maior e mais antigo programa nacional de iniciação ao ambiente universitário está assim de regresso com o objetivo de sensibilizar jovens pré-universitários para as áreas ali lecionadas. Objetivos que assumem a expressão máxima em três escolas que reúnem os melhores estudantes do país, oferecendo-lhes a possibilidade de participar em projetos reais de investigação científica e de aprofundar saberes nas áreas das Ciências da Saúde, da Física e da Matemática, na companhia de alguns dos mais reputados investigadores nacionais.

À semelhança dos anos anteriores, são as leis da Escola de Física a assinalar o reinício das atividades da UJr. Depois de um lanche de boas vindas realizado este domingo nos jardins do Departamento de Física da Faculdade de Ciências, os 76 “físicos” apresentam-se esta segunda-feira (3 de setembro) ao trabalho nos laboratórios da FCUP e do Centro de Astrofísica da U.Porto (CAUP). É ali que, que durante quatro dias, das 9h00 às 18h30, vão viajar por entre sondas espaciais, ondas de luz, nanomateriais, planetas extrasolares e sensores de fibra ótica enquanto executam 17 projetos de investigação em torno de um problema da Física.

De modo a potenciar ao máximo esta primeira aventura no mundo da Física, os jovens terão ainda tempo para assistir a duas palestras científicas e participar em mini-cursos avançados sobre Astrofísica, Mecânica Quântica ou a Teoria de Relatividade de Einstein. O último dia da Escola (7 de setembro) será preenchido com a apresentação pública dos projetos desenvolvidos.

Preenchido será também o “roteiro” dos 53 jovens que vão inaugurar, esta segunda-feira, a 14.ª Escola de Ciências da Vida e da Saúde (ECVS), o projeto que, desde 2006, procura dar a conhecer a diversidade da oferta formativa e da investigação da U.Porto nos campos da saúde e biologia aplicada, mostrando  que “há vida para além da Medicina”. Integrados em 17 projetos científicos, os alunos vão poder explorar áreas tão variadas como a biologia molecular, a bioquímica, a cardiologia, a anatomia, a genética, a hidrobiologia, a microbiologia, a nutrição, a oncologia ou a medicina dentária. Isto enquanto trabalham lado a lado com 79 docentes e investigadores das faculdades de Ciências da Nutrição e da Alimentação (FCNAUP), Engenharia (FEUP), Farmácia (FFUP), Medicina (FMUP), Medicina Dentária (FMDUP), do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) e do i3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da U.Porto.

A sessão de abertura da ECVS está marcada para as 9h30, no Salão Nobre do ICBAS/FFUP, ocasião em que os participantes ficarão a conhecer os projetos de investigação nos quais vão trabalhar ao longo da semana. Já o congresso de encerramento realiza-se no sábado, 8 de setembro, no Centro de Investigação Médica da Faculdade de Medicina, e dará aos jovens a oportunidade de apresentarem os resultados das suas descobertas perante uma plateia composta pelos professores e investigadores envolvidos nos projetos, mas também pelos pais/encarregados de educação, outros familiares e docentes do ensino básico e secundário.

Também esta segunda-feira, entra em ação a Escola de Verão de Matemática (EVMAT ), um projeto coordenado pelo Centro de Matemática da U.Porto (CMUP) e que pretende demonstrar que a disciplina “mal-amada” pelos jovens portugueses também se pode descobrir de forma divertida.

Com um formato renovado em relação às edições anteriores, a Escola de Matemática deste ano convida os 41 participantes – alunos do 10.º ao 12.º ano de escolaridade – a desvendar os mistérios escondidos nos números através de mini-cursos focados em temas de matemática não incluídos nos programas em vigor no ensino secundário, e ensinados de um ponto de vista de ensino (pré)-universitário. Será por isso uma semana preenchida com aulas teóricas e práticas – a que se soma uma componente de implementação computacional – e direcionada para a resolução de problemas nas áreas da Geometria Projectiva, Geometria fractal, Poliminós e Estatística Aplicada.

No período pós-aulas, os participantes das três escolas podem ainda usufruir – opcionalmente – de um programa de alojamento, alimentação e atividades de lazer preparado pela UJr.

Mais informações em http://universidadejunior.up.pt/.