Morreu Belmiro de Azevedo, Doutor Honoris Causa da U.Porto

Em maio de 2009, a U.Porto, por proposta da FEUP, reconheceu o “notável percurso profissional” de Belmiro de Azevedo com a atribuição do título de Doutor Honoris Causa.

Belmiro de Azevedo, líder histórico do grupo Sonae, antigo estudante da Faculdade de Engenharia (FEUP) e Doutor Honoris Causa da Universidade do Porto, faleceu hoje, aos 79 anos de idade.

“É uma grande perda para a Universidade do Porto e para a sociedade portuguesa”, considerou o Reitor da U.Porto, Sebastião Feyo de Azevedo, na sua nota de pesar pelo desaparecimento deste “ilustre antigo estudante, referência maior do empresariado português e cidadão civicamente empenhado”.

Como realça o Reitor da U.Porto, “o Eng. Belmiro de Azevedo foi um empresário verdadeiramente visionário, sobretudo porque percebeu muito cedo a importância da cooperação entre empresas e instituições do ensino superior em projetos de investigação, desenvolvimento e inovação.(…) Lembro, a propósito, a ação determinante do Eng. Belmiro de Azevedo na criação do CLIFE – Centro de Ligação da Indústria à Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), um projeto pioneiro à época [1971-1974]”, realizado em estreita colaboração com Rodrigo Guedes de Carvalho, Professor Catedrático da FEUP.

O antigo estudante da FEUP colaborou de perto com a Universidade do Porto ao longo de toda a carreira, incluindo na partilha do seu saber e experiência com os estudantes da instituição.

Mas a proximidade de Belmiro de Azevedo à Universidade do Porto foi uma constante ao longo de todo o seu percurso empresarial. Nas palavras de Sebastião Feyo de Azevedo, “foi graças à visão estratégica do Eng. Belmiro de Azevedo que a Sonae se tornou um dos principais parceiros da Universidade do Porto em atividades de I&D+i”, merecendo ainda destaque “a intervenção decisiva do Eng. Belmiro de Azevedo na Porto Business School, escola de negócios de que a nossa Universidade é associada e que teve no antigo líder da Sonae um dos seus principais impulsionadores”.

Por tudo isto, Belmiro de Azevedo viu o seu notável percurso empresarial reconhecido pela Universidade do Porto em maio de 2009 com a atribuição do título de Doutor Honoris Causa, por proposta da FEUP. Como nota o Reitor da U.Porto, “o Eng. Belmiro de Azevedo foi um exemplo de empreendedorismo, retidão e solidariedade que deve agora ser transmitido às novas gerações e devidamente valorizado pelo País”.

Natural da aldeia de Tuías, Marco de Canaveses, Belmiro de Azevedo (1938-2017) licenciou-se em Engenharia Química na FEUP, em 1963. Do tempo passado na Universidade haveria de recordar “o completar da licenciatura, os amigos que fiz, as noites gastas a estudar e a discutir, os professores e os sonhos. Tudo isso foi decisivo e cada dia foi a prova de que mesmo os objetivos que parecem impossíveis se podem concretizar. Quando entrei para a Universidade não passava de um miúdo com ambição e sonhos, quando de lá saí estava certo do caminho a seguir. Queria contribuir para o bem comum e para o país, desejava encetar projetos, criar emprego e riqueza que pudesse ser aproveitada pela comunidade”, expressou em 2011, num testemunho inserido na rubrica “100 Olhares”, integrada nas comemorações do Centenário da U.Porto.

O Doutoramento Honoris Causa da U.Porto foi apenas uma das muitas distinções que Belmiro de Azevedo recebeu em vida.

Foi essa ambição, combinada com uma visão empreendedora e uma capacidade de gestão fora do comum, que acabaria por concretizar à frente da Sonae (sociedade criada em 1959, dedicada ao fabrico de produtos derivados da madeira), onde entra em 1965 para assumir a função de Diretor de Investigação e Desenvolvimento e da qual se viria a tornar Diretor-Geral e Administrador-Delegado apenas dois depois. Sob a sua liderança, o grupo Sonae tornou-se um dos mais poderosos conglomerados empresariais do país, detentor da rede de supermercados Modelo e Continente, do jornal Público, da NOS e de vários centros comerciais e unidades industriais. Em 2007, transferiu a liderança executiva do grupo para o seu filho Paulo de Azevedo, passando a ocupar o cargo de Presidente do Conselho de Administração (chairman) até 2015.

Belmiro de Azevedo viu o seu excecional percurso profissional e cívico ser várias vezes reconhecido em Portugal e no estrangeiro. Para além do Doutoramento Honoris Causa pela Universidade do Porto e, mais tarde, pela Universidade dos Açores, Belmiro de Azevedo foi distinguido com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique (2006), com o Grau de Comendador da Ordem do Mérito Civil de Espanha (1999) e o Grau de Comendador da Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul do Brasil (2000), só para citar alguns.