Marcelo Rebelo de Sousa inaugura Galeria da Biodiversidade

A Casa Andresen, no Jardim Botânico do Porto, é agora a Galeria de Biodiversidade – Centro Ciência Viva.

A Galeria da Biodiversidade – Centro Ciência Viva, instalada na Casa Andresen (Jardim Botânico do Porto), vai ser oficialmente inaugurada no dia 30 de junho pelo Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, e o Reitor da Universidade do Porto, Sebastião Feyo de Azevedo.

Numa cerimónia que contará ainda com a participação do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, e da presidente da Agência Ciência Viva, Rosalia Vargas, a inauguração da Galeria da Biodiversidade marcará a abertura ao público do primeiro polo do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto e, simultaneamente, do primeiro Centro Ciência Viva dedicado especificamente à biodiversidade.

O esqueleto de baleia que foi o ex-libris do Museu de Zoologia da FCUP paira agora sobre os visitantes da Galeria da Biodiversidade.

A casa que foi palco das brincadeiras de criança de Ruben A. e Sophia de Mello Breyner e que ainda hoje tem o nome da família Andresen, foi transformado numa galeria onde a arte se cruza com a biologia e a história natural, estimulando uma panóplia de experiências sensoriais, propositada e cuidadosamente concebidas para celebrar a diversidade da vida.

No local, os visitantes poderão encontrar um conjunto exemplar de 49 módulos expositivos e instalações, muitos dos quais desenvolvidos ou adaptados especificamente para a sua exposição permanente, que se organizam em 15 temas principais através dos quais se abordam os mais variados aspetos da diversidade biológica e cultural que hoje conhecemos.

O espaço combina arte e ciência, explorando toda a diversidade da vida existente no nosso planeta.

Com funcionalidades e características inovadoras, e devidamente enquadradas numa rica e diversificada gama de recursos museográficos, que vão desde modelos mecânicos até às mais sofisticadas plataformas multimédia e audiovisuais, esta nova e única plataforma cultural convida os visitantes a embarcar numa viagem através da ciência, literatura e arte, durante a qual serão contadas as mais belas histórias sobre a vida.

A Galeria da Biodiversidade e o próprio Jardim Botânico vão integrar-se no Museu de História Natural e da Ciência da U.Porto que terá o seu polo central no edifício da Reitoria da Universidade, que está ainda a ser sujeito a uma profunda intervenção de reabilitação, não só ao nível da requalificação infraestrutural, mas também no que diz respeito ao tratamento e reacondicionamento das suas coleções e à redefinição do seu discurso museográfico.

A Vida é o tema corrente na exposição permanente da Galeria da Biodiversidade.

Será neste polo central, em plena Baixa portuense e com vista para a Torre dos Clérigos, que ficarão concentradas as históricas coleções museológicas de geologia, paleontologia, zoologia, arqueologia e etnografia, botânica e ciência que ao longo dos últimos séculos foram sendo adquiridas ou doadas à Universidade do Porto.