Investigador do ICBAS distinguido no Congresso Português de Diabetes

Investigador no ICBAS desde 2016, Marco Alves trabalha sobretudo nas áreas do Metabolismo, Bioquímica, Biologia Celular e Andrologia (Foto: DR)

Marco Alves, investigador do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) da Universidade do Porto e da Unidade Multidisciplinar de Investigação Biomédica (UMIB), foi galardoado com o prémio do Grupo de Estudos de Investigação Fundamental e Translacional (GIFT) atribuído pela Sociedade Portuguesa de Diabetologia (SPD) durante o 15.º Congresso Português de Diabetes.

O estudo premiado – com 5 mil euros – pelo júri internacional presente no congresso focou-se, noão nos tipos de diabetes hereditários, mas naqueles que são o reflexo de um consumo excessivo de açúcar por parte do progenitor. Para o efeito, Marco Alves procurou compreender como é que as alterações induzidas por flutuações na glicose poderão afetar a qualidade do esperma e a informação epigenética nele contida, trazendo consequências para as gerações futuras.

O investigador refere ainda que este tipo de variações da glicose, poderão “estar associadas ao aparecimento de outro tipo de doenças metabólicas, tais como a obesidade”.

Intitulado “Paternal glucose metabolism dysregulation and diabetes mellitus predisposition in the offspring”, o trabalho distinguido contou ainda com a colaboração de Mariana Monteiro, docente do ICBAS e Coordenadora Geral da UMIB, e do Diretor Clínico da Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal (APDP), João Raposo.

O 15.º Congresso Português de Diabetes decorreu entre os dias 8 e 10 de março, em Vilamoura.

Sobre Marco Alves

Licenciado em Biologia pela Universidade do Aveiro, Marco Alves, 36 anos, é doutorado em Bioquímica pela Universidade de Coimbra, Cientista Convidado na Universidade de Bari (Italia) e, desde novembro de 2016, Investigador FCT no ICBAS, onde trabalha nas áreas do Metabolismo, Bioquímica, Biologia Celular e Andrologia.

“Networker” e “workaholic” assumido, o investugador já tinha sido distinguido, em 2917, com o Prémio “Nuno Castel Branco” da Sociedade Portuguesa de Diabetologia (SPD) , tendo feito parte da equipa que, nesse mesmo ano, recebeu a Bolsa de Investigação 2017 da Associação Portuguesa de Urologia (APU). Na sua ainda curta passagem pelo ICBAS, submeteu também um pedido de patente e publicou em duas das revistas mais conceituadas da área da Reprodução Humana (Human Reproduction Update) e Endocrinologia e Metabolismo (Trends Endocrinology and Metabolism).