Geração 21 vale prémio internacional a jovem investigadora do ISPUP

Isabel Moreira (quarta a contar da esquerda, no centro) venceu o Prémio de Melhor Comunicação Oral. (foto: DR)

Isabel Moreira, investigadora do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP), viu o seu trabalho “Parental discipline among school aged children: a study in the Generation XXI Portuguese birth cohort” ser distinguido com o segundo prémio de “Melhor Comunicação Oral” no Young Researchers Forum, organizado pela ASPHER – Association of Schools of Public Health in the European Region.

Naquela que é uma das melhores oportunidades para os jovens investigadores de todo o mundo mostrarem o seu trabalho a alguns dos mais reputados cientistas na área da Saúde Pública, este Fórum convida os cientistas a submeter os seus trabalhos, que são depois revistos e avaliados por um painel de especialistas. Os autores dos  melhores trabalhos ganham então a oportunidade de fazer uma comunicação oral durante o Fórum.

Os autores dos trabalhos distinguidos recebem um prémio monetário (financiado pelos membros da ASPHER) e podem vir a ver o seu trabalho publicado no repuatado “Public Health Reviews Journal”.

A decorrer em Bruxelas, o Young Researchers Forum é organizado pela ASPHER dentro do programa de uma das maiores conferências científicas na área da saúde pública: a European Public Health Conference (que decorre até ao dia 16 de novembro).

A ASPHER é uma organização independente dedicada à promoção da melhoria da saúde pública através da excelência na educação e formação dos profissionais da área (tanto os investigadores como os profissionais no terreno). Fundada em 1966, esta organização congrega mais de 100 membros em 42 países do espaço europeu.

Sobre a Geração 21

Ao acompanhar 8647 crianças nascidas em cinco hospitais públicos na área do Grande Porto, a  Geração 21 é o primeiro e único estudo deste tipo a ser realizado em Portugal. Com este projeto, os investigadores pretendem pretendem caracterizar o desenvolvimento pré e pós-natal, estimando indicadores de saúde materna e infantil (por exemplo, quantas mulheres fumam durante a gravidez, quantas amamentam os seus filhos e até que idade ou quantas crianças têm peso a mais) e também estudar a relação entre características dos pais e do desenvolvimento perinatal e parâmetros antropométricos e biológicos das crianças, nos seus primeiros anos de vida.