Galeria da Biodiversidade finalista em prémio europeu

Aberta ao público desde junho de 2017, a Galeria da Biodiversidade é o primeiro Centro Ciência Viva de Portugal especificamente dedicado à biodiversidade. (Foto: Egidio Santos/U.Porto)

A Galeria da Biodiversidade – Centro de Ciência Viva do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto (MHNC-UP) foi um dos cinco museus finalistas da 23.ª edição do Prémio Luigi Micheletti, um galardão promovido pela European Museum Academy  e que distingue anualmente os projetos museológicos europeus mais inovadores nas áreas de ciência, tecnologia, trabalho e história do século XX.

Escolhida entre um grupo restrito de 25 outros museus candidatos à final, a Galeria da Biodiversidade – CCV destacou-se dos demais museus ao surgir como “um projeto único” em que “uma sensibilidade artística e um uso criterioso de módulos altamente tecnológicos que se combinam com soluções clássicas oferecem a uma vasta gama de públicos uma experiência envolvente que apresenta uma mensagem clara” sobre evolução e a necessidade de preservar a biodiversidade.

Ainda de acordo o Júri, cujos membros tiveram a oportunidade de visitar a Galeria no passado mês de em maio, “o aspeto ilusoriamente simples dos módulos expositivos toca simultaneamente a ciência, as artes visuais e a literatura”, sendo que cada um deles “foi concebido como se se tratasse de uma instalação de arte”. Já a exposição permanente foi descrita como um espaço que ultrapassa quaisquer limitações “de idade, educação ou contexto cultural” e que convida os visitantes a regressar “através da oferta constante de novas visitas temáticas”.

A cerimónia de entrega dos prémios 2018 da European Museum Academy decorreu no dia 22 de setembro, em Aarhus, na Dinamarca. (Foto: DR)

Para os responsáveis do MHNC-UP, a presença entre os finalistas da edição de 2018 dos Prémios da European Museum Academy é também um motivo de orgulho, já que significa a “conquista de um lugar de distinção entre os melhores museus da Europa”. Recorde-se que esta distinção chega menos de um ano depois da sua exposição permanente ter sido premiada pela Associação Portuguesa de Museologia (APOM) pela qualidade do trabalho de museografia realizado.

A 23.ª edição do  Prémio Luigi Micheletti foi arrebatada pelo Chaplin’s World por Grévin, um museu privado, localizado em Coursier-sur-Vevey, na Suíça, e dedicado a divulgar e homenagear a vida e obra de Charlie Charplin. Foram ainda finalistas, para além da Galeria da Biodiversidade, o Kazerne Dossin, Museu, Memorial e Centro de Investigação sobre o Holocausto e os Direitos Humanos, em Mechelen, na Bélgica; o War Childhood Museum, em Sarajevo, na Bósnia e Herzegovina; e o Eesti Rahva Museum, o Museu Nacional da Estónia, em Tartu, na Estónia.

A cerimónia de entrega dos prémios 2018 da European Museum Academy decorreu no dia 22 de setembro, em Aarhus, na Dinamarca.

Sobre a Galeria da Biodiversidade

Aberta ao público desde junho de 2017, a Galeria da Biodiversidade convida a uma viagem sobre a evolução da vida e da arte, através do cruzamento entre a biologia e a história natural. Conta com um conjunto de 49 módulos expositivos e instalações, organizados em 15 temas, com funcionalidades e características inovadoras que vão desde modelos mecânicos até às mais sofisticadas plataformas multimédia e audiovisuais. É o primeiro Centro Ciência Viva de Portugal especificamente dedicado à biodiversidade.