Daniela Marques : Uma estudante da FEUP à descoberta do Brasil

(foto: UENF)

Daniela levou a cabo testes com um centrifugadora geotécnica no Brasil uma vez que a única existente em Portugal se encontra desativada (foto: UENF)

Chama-se “Apoio ao doutorado-sanduíche reverso” e é um programa de mobilidade lançado com o objetivo de fomentar redes de cooperação de ensino e de investigação entre a região do Rio de Janeiro e o resto do mundo.  É neste resto do mundo que cabe Daniela Marques, estudante do Programa Doutoral em Engenharia Civil na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) que, entre setembro e dezembro de 2014, realizou um estágio de quatro meses na Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), onde teve a oportunidade de desenvolver ensaios de modelação física com uma centrífugadora geotécnica.

De acordo com a estudante, de 30 anos, a única centrífugadora geotécnica existente em Portugal encontra-se desativada, pelo que a realização deste estudo só foi possível com a colaboração da UENF. “A minha investigação de doutoramento tem uma grande componente de modelação numérica, mas é muito importante realizar simultaneamente estudos experimentais, que complementem e validem as modelações numéricas. A centrifugadora geotécnica é uma ferramenta poderosa para avaliar os fenómenos físicos impossíveis de serem simulados em escala real, como, muitas vezes, é o caso dos aterros sobre solos moles reforçados com colunas de brita. Os resultados dos modelos físicos serão então comparados com os resultados da modelação numérica das mesmas estruturas, permitindo avaliar a fiabilidade da modelação numérica”, explica a estudante, que contou com  a orientação de Fernando Saboya Júnior, professor do Departamento de Engenharia Civil da UENF.

O acolhimento de estudantes de outros países em Programas de Pós-Graduação da UENF tem um efeito otimizador na quebra de barreiras com os estudantes brasileiros, incentivando-os a adquirirem experiências no exterior. Uma tendência que “está em crescimento, fruto de novas associações e parcerias”, aponta o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UENF, António Teixeira do Amaral Júnior.

Sobre o programa

Promovido pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, pela Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia e pela Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ), o programa de “Apoio ao doutorado-sanduíche reverso” permite que e estudantes de doutoramento matriculados em Programas de Pós-graduação estrangeiros realizem estágios – entre quatro a 12 meses – em instituições sediadas no Estado do Rio de Janeiro.