Astrónomo Real da Grã-Bretanha antecipa o futuro da Ciência na U.Porto

Martin Rees presidiu a prestigiada Royal Society entre 2005 e 2010. (Foto. DR)

O cosmólogo e astrofísico britânico Martin Rees, que ocupa desde 1995 o posto de Astrónomo Real da Grã Bretanha, vai estar na próxima sexta-feira, dia 17 de novembro, na Galeria da Biodiversidade – Centro Ciência Viva, do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto (MHNC-UP), para falar sobre “A ciência no século XXI: oportunidades e ameaças”.

Considerado um dos mais respeitados cientistas do mundo, Martin Rees aproveitará esta visita ao Porto e à Universidade para pôr em debate um conjunto de questões suscitadas pelas rápidas e crescentes evoluções nos campo da saúde, da agricultura, dos transportes, de energia, que assentam na ciência e tecnologia.

Que papel vai desempenhar a ciência no futuro? Quais são as principais oportunidades e perigos da ciência? Terão os cidadãos capacidade de entender a ciência? E terão os cientistas aptidão para no-las explicar? Estas e outras questões serão abordadas pelo cientista britânico, que contará com a companhia de dois nomes incontornáveis da Ciência portuguesa e da U.Porto: o físico Alexandre Quintaninha e o astrónomo Nuno Cardoso Santos.

Nesta passagem pela U.Porto, o antigo presidente da prestigiada Royal Society (a academia de ciências do Reino Unido e a mais antiga sociedade científica do mundo) apresentará também a tradução portuguesa do seu livro From here to infinity: a vision for the future of science (“Para o Infinito – Horizontes da Ciência”) Editada pela Gradiva, esta obra lança as bases para uma melhor comunicação entre investigadores e leigos, contrariando a visão habitual da ciência como um domínio obscuro e difícil, inacessível ao público em geral.

Organizada localmente pelo Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto e pelo Planetário do Porto – Centro Ciência Viva, a conferência “A ciência no século XXI: oportunidades e ameaças” insere-se no âmbito do Mês da Educação e da Ciência 2017, promovido pela Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS).

A sessão tem início às 18h00 e é aberta ao público, mediante inscrição (gratuita).

Mais informações aqui.

Sobre Martins Rees

Natural de York, Martin Rees (1942) tem um percurso científico e académico profundamente ligado à conceituada Universidade de Cambridge, onde foi Diretor do Instituto de Astronomia, Professor Investigador de cosmologia e astrofísica e Mestre do Trinity College.Em 1995, foi promovido a Astrónomo Real Britânico pela Rainha Isabel II. Dez anos depois, assumiu a presidência da Royal Society, cargo que desempenhou até 2010. Integra desde 2005 a Câmara dos Lordes na qualidade de membro independente.

Autor de um multi premiado trabalho de investigação em temas ligados à formação de galáxias, núcleos galáticos ativos, buracos negros, explosões de raios gama e aspetos mais especulativos da cosmologia, Martin Rees faz parte de diversas academias estrangeiras, incluindo a Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, a Academia Russa e a Academia Pontifícia. Membro do Conselho do Instituto de Estudos Avançados de Princeton, tem ainda colaborado em muitos orgãos relacionados com a educação, investigação espacial, controlo de armas e colaboração internacional na ciência.

Em 2015, anunciou, juntamente com nomes como o empresário russo Yuri Milner, ou o físico Stephen Hawking, a intenção de atribuir, ao longo da próxima década, um financiamento de 100 milhões de dólares aos melhores investigadores do programa SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence), através do projeto “Breakthrough Listen“.