Aplicação móvel quer tornar férias dos portugueses mais seguras

UPTEC_Healthyroad

A tecnologia para reduzir sinistralidade foi criada por Filipe Monteiro, Filipe Oliveira e André Azevedo. (Foto: UPTEC)

É lançada esta segunda-feira a HealthyRoad, uma aplicação móvel que deteta adormecimento de condutores ao volante, através de uma tecnologia de análise facial. Criada pela startup com o mesmo nome, incubada no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC), esta aplicação identifica o comportamento do condutor, através da câmara frontal dos smartphones, e alerta-o sempre que este adormecer ou se distrair.

“Na Europa, 1/3 dos acidentes rodoviários são causados por distração e 20 a 25% por adormecimento. São números que não param de aumentar e as pessoas não têm consciência desta realidade. É muito importante apostar nesta área e criar formas de diminuir a sinistralidade”, refere André Azevedo, um dos fundadores da HealthyRoad, juntamente com Filipe Monteiro Filipe Oliveira, antigos estudantes das faculdades de Engenharia e de Economia da U.Porto, respetivamente.

UPTEC_HealthyRoad

A aplicação é gratuita e está já disponível na Play Store da Google.

A empresa, que conta com a parceria da BMW para a implementação desta tecnologia, surge com a missão de reduzir a sinistralidade rodoviária através da criação de sistemas de medição do comportamento do condutor, sendo um deles a app móvel. “Entendemos que com esta app todos os condutores podem utilizar facilmente esta tecnologia para tornar as suas viagens mais seguras”, explica André Azevedo.

A aplicação permite analisar o comportamento de condução do condutor, através da utilização da câmara frontal do dispositivo móvel. No caso de o condutor adormecer ao volante ou estar distraído, o telemóvel irá produzir um aviso sonoro e visual por forma a acordar o condutor ou a relembrá-lo da necessidade de estar atento à condução.

A aplicação gratuita já está disponível na Google Play Store.

Sobre a HealthyRoad

A HealthyRoad está a desenvolver tecnologia de biométrica facial que detecta e analisa o comportamento dos indivíduos, nomeadamente, sinais de fadiga, adormecimento, estados emocionais e até mesmo o batimento cardíaco.

Esta tecnologia está atualmente a ser implementada no sector rodoviário, onde pretende proteger os condutores, através de alertas sonoros, sempre que são detetados comportamentos imprudentes, como distracções, adormecimento, períodos de fadiga, elevados níveis de stress, entre outros.

O objetivo é que no futuro o veículo se torne extremamente inteligente, sendo capaz de se adaptar às necessidades de cada utilizador e assim tornar a jornada de condução mais agradável e segura.