Humanista, pensador, médico, professor e um “homem de corpo inteiro”. É assim que o consideram gerações de médicos e estudantes que com ele privaram. Nuno Grande é a Figura Eminente da Universidade do Porto 2022, iniciativa que, ao longo do ano, se propõe a celebrar a memória e o legado do histórico professor e fundador do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar.

Nuno Grande notabilizou-se pela excelência na medicina e pela irreverência no ensino, destacando-se pelo seu papel único na cidade e no país, sempre envolvido em várias causas, das políticas, às sociais. Uma das mentes por detrás da criação do ICBAS, trouxe para o ensino das biomédicas uma visão verdadeiramente transdisciplinar.

É esse legado que a Universidade do Porto, juntamente com o ICBAS, vai revisitar através de várias atividades que pretendem engrandecer, dar a conhecer e homenagear este homem da ciência, que não pode ser dissociado de Portugal.

O programa das comemorações da Figura Eminente 2022 foi anunciado oficialmente no passado dia 5 de maio, durante a sessão solene dos 47 anos do ICBAS, que serviu de pretexto para juntar estudantes, colegas, alumni e família de Nuno Grande.

No dia 19 de setembro, inaugura a exposição documental ‘Cidadão de Corpo Inteiro’, no ICBAS, e uma escultura, de grande escala, que pretendem dar a conhecer a faceta de médico de Nuno Grande e destacar a sua investigação na área pulmonar. Esta exposição estará patente até 15 de outubro, incluirá visitas guiadas, e é aberta ao público.

Já a 7 de novembro, a Reitoria da U.Porto recebe uma conversa sobre o ‘Homem de muitas Causas’, que contará com um painel diversificado de pessoas que privaram e se cruzaram com o fundador do ICBAS.

O programa completo pode ser consultado em breve em figuraeminente2022.up.pt.

Sobre Nuno Grande

Nuno Grande nasceu em Vila Real, em 1932. Extrovertido e curioso por natureza, era um contador de histórias irrepreensível, sendo por isso conhecido pela capacidade de juntar várias pessoas em torno das suas histórias. Veio estudar medicina para o Porto em 1950, e em 1957 licenciou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina do Porto, sendo convidado pelo Mestre Hernâni Monteiro para seu assistente.

Em 1965, defendeu a sua tese de doutoramento intitulada “Hipertensão Arterial Pulmonar- contribuição experimental”, tendo obtido a classificação de 19 valores.

Entre 1965 e 1974 vive em Angola onde assume cargo de Diretor do Laboratório de Anatomia Humana do Curso de Cirurgia Humana da Universidade de Luanda e é eleito Presidente da Direção do Centro de Estudos Médicos Experimentais do Instituto de Investigação Científica de Angola.

Regressa depois do 25 de abril para, juntamente com Ruy Luís Gomes e Corino de Andrade, criar o ICBAS, uma escola inspirada em Abel Salazar e na sua visão para o ensino assente no espirito de observação e de investigação.

Nuno Grande durante uma aula no ICBAS, em 1978. (Foto: ICBAS)

Figura central no desenvolvimento e implementação do ICBAS e pedagogo de referência para várias gerações de médicos portugueses, foi diretor do Departamento de Anatomia e regente da cadeira de Anatomia Sistemática. Paralelamente, desenvolveu uma obra científica de grande repercussão internacional.

Para além do papel importante que teve como médico, docente e investigador, Nuno Grande destacou-se ainda pelo seu envolvimento em várias causas cívicas: desde a cooperação internacional, à participação política, até à intervenção cultural.

(Foto: ICBAS)

Dos vários cargos de relevo que assumiu ao longo da sua vida, destacam-se, entre outros, os de Pró-Reitor da Universidade do Porto para os assuntos Sociais (1988), membro do Painel de Conselheiros do Comité Científico da NATO (1989), Presidente da Direção da casa Museu Abel Salazar e a passagem pela direção da Comissão de Gestão do Instituto Nacional de Engenharia.

No plano político, destacou-se como mandatário nacional da candidatura de Maria de Lurdes Pintassilgo à Presidência da República, em 1985. Foi condecorado pelo Governo Português com o grande oficialato da Ordem da Instrução.

Nuno Grande faleceu em 2012, aos 80 anos de idade.