Faculdade de Engenharia acolhe Think Tank sobre Literacia em Saúde

A entrada no evento é gratuita. (foto: Pixabay / Creative Commons)

Que estratégias em rede devemos adotar para aumentar o conhecimento em saúde da população portuguesa? É este o mote do Think Tank sobre Literacia em Saúde, uma iniciativa organizada pelo Programa Doutoral em Media Digitais da Universidade do Porto (PDMD) e que vai decorrer no próximo dia 9 de maio, na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).

Discutir medidas de atuação nacionais é um dos principais objetivos do evento, que vai juntar cerca de 40 stakeholders, entre hospitais, instituições de ensino, órgãos de comunicação social e comunidades locais, onde se inclui o Ministério da Saúde e o Ministério da Educação. Este ‘Tanque de Reflexão’ é liderado pelo Laboratório de Criação para a Literacia em Saúde da Universidade do Porto (LACLIS), organismo integrado no PDMD que se encontra a trabalhar numa rede de evidência científica para propiciar o aumento da investigação, da criação e da disseminação de projetos relacionados com a Literacia e a Comunicação em Saúde.

O Think Tank LACLIS é, assim, o ponto de partida para a constituição desta rede e pretende recolher contributos de várias entidades que trabalham questões relevantes sobre a informação em saúde. Desde as fontes institucionais hospitalares, órgãos de comunicação social, a organizações representativas da sociedade civil, pretende-se uma aproximação entre vários quadrantes, para obter um diagnóstico de necessidades robusto.

O dia 9 de maio vai ser”partido” em três fases distintas e, em cada uma delas, os participantes vão criar quatro contextos específicos da comunicação em saúde: emergência médica, prevenção, doença incapacitante e adesão terapêutica. A moderação das mesas vai estar a cargo de investigadores do LACLIS e da U.Porto Inovação e o EIT Health, um dos maiores consórcios europeus na área da Inovação em Saúde, vai acompanhar todas as sessões de trabalho.

Aberto ao público a partir das 17h00, o evento vai apresentar a partir dessa hora os resultados preliminares do dia de trabalho e a intervenção de duas especialistas na área da Saúde Pública e Comunicação em Saúde:  Urska Kosir, presidente do Comité de Literacia em Saúde e Autocuidados do European Health Parliament, e Débora Miranda, consultora da Associação Europeia de Saúde Pública.

As inscrições na Sessão Pública podem ser efetuadas até ao dia 7 de maio, através do preenchimento do respetivo formulário.

Sobre o LACLIS

O Laboratório de Criação para a Literacia em Saúde (LACLIS) pretende afirmar-se como uma estrutura que reúne as condições necessárias para desenvolver, implementar e avaliar programas de educação e promoção de saúde sustentáveis. O laboratório caracteriza-se por uma génese multidisciplinar, reunindo investigadores de nove faculdades e centros de

investigação distintos da U.Porto (Faculdade de Letras, Faculdade de Engenharia, Faculdade de Medicina, Faculdade de Desporto, Faculdade de Belas-Artes, Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação e Instituto de Saúde Pública e laboratórios associados I3S e INESC TEC), que procuram contribuir para o aumento da capacitação da população em fazer uma autogestão eficaz da saúde, bem como proporcionar melhores condições de vida a quem está dependente de outrem.

A sua área de atuação procura responder às necessidades prementes de populações que possuem capacidades inadequadas de literacia em saúde e o objetivo essencial passa por incorporar os resultados alcançados nas práticas dos profissionais que tenham um papel fulcral na produção e/ou disseminação de informação sobre saúde. Entende-se que esta poderá ser uma estratégia eficaz para responder aos níveis inadequados de Literacia em Saúde existentes na população Portuguesa.

O laboratório desenvolve investigação, cria produtos de informação e comunicação e promove ainda a formação em saúde dos profissionais de saúde, aumentando as capacidades que estes desenvolvem para produzir conteúdos sobre a temática.