3 milhões de euros para a investigação da FPCEUP

A FPCEUP viu serem aprovados 17 candidaturas no concurso de financiamento de I&D da Fundação da Ciênica e Tecnologia.

A Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto (FPCEUP) vai contar com mais 3 milhões de euros para investigação até 2021. Este montante resulta da aprovação de 17 candidaturas (15 como proponente e 2 como parceira) ao concurso de projetos de I&D de 2017 da Fundação para a Ciência e Tecnologia.

A taxa de sucesso da FPCEUP neste concurso foi de 50% para as candidaturas em que figura como proponente, acima da média da nacional que se situa nos 35%. Em comparação com a edição anterior deste concurso, em 2014, a FPCEUP melhorou os indicadores de sucesso em 37%. Naquela edição, a FPCEUP obteve financiamento para 5 projetos – 2 em parceria –, num total de 674 mil euros.

A FPCEUP apresentou 43 candidaturas, cerca de 8% das propostas submetidas por todo o universo da Universidade do Porto.

Dos 15 investigadores financiados, 10 são estreantes na FPCEUP como coordenadores de projetos apoiados pela FCT. Cinco são investigadores de pós-doutoramento na FPCEUP e vão assegurar mais de um milhão de euros, ou seja 1/3 do financiamento obtido para pesquisa na instituição neste concurso.

Segundo a FCT, serão atribuídos cerca de 375 milhões de euros de financiamento a 1.618 projetos de investigação, o que representa uma percentagem de aprovação de cerca de 35% do total de 4.593 candidaturas submetidas em 2017. A FPCEUP superou largamente este indicador, conseguindo a aprovação de 50% das 30 candidaturas que apresentou como proponente, sendo que nenhuma foi excluída por inelegibilidade no cumprimento dos critérios formais.

Ao nível da avaliação das candidaturas, as taxas de elegibilidade das candidaturas foram largamente superadas: 100% das candidaturas apresentadas ao Painel da Psicologia foram elegíveis (sendo que a taxa nacional de elegibilidade se situou nos 63%). Das candidaturas apresentadas ao Painel de Ciências da Educação, apenas duas foram excluídas por não terem cumprido o critério “Não ter pontuação inferior a 3 nos critérios A ou B”.

As candidaturas foram avaliadas em diversos critérios, valorizados entre 1 e 5. A classificação média obtida pelos projetos aprovados na “qualidade da equipa” foi de 4,18; em “orçamento” foi de 4,25; em “impacto do projeto” foi de 4,08; na “qualidade do projeto” foi de 4,21. A média global da avaliação foi de 4,17.

As candidaturas foram acompanhadas pelo Centro de Recursos Integrados de Apoio à Investigação (CRIA), uma estrutura da FPCEUP que visa apoiar a comunidade académica na angariação e gestão de investigação financiada. Este suporte passou pela organização de 5 sessões de formação específica para o concurso, cerca de 50 reuniões tutoriais com as equipas e investigadores responsáveis pelas candidaturas e pela elaboração de um ficheiro automatizado para a realização dos orçamentos.