Universidade do Porto domina bolsas Fulbright de Investigação

investigadora FEUP

As bolsas Fulbright de Investigação têm um valor máximo de 8 mil dólares e destinam-se a investigadores de todas as áreas do conhecimento (Foto: DR)

Liliana Abreu, Mariana Pereira, Pedro Cecílio, Pedro PinheiroRosana Alves e Sofia Leite, todos eles ligados à Universidade do Porto, integram o lote de dez cientistas portugueses que, durante o ano letivo 2015/2016, vão ser financiados pelo Estado norte-americano para prosseguir os seus projetos de investigação nalgumas das mais prestigiadas universidades e centros de investigação dos Estados Unidos, ao abrigo do programa de bolsas atribuídas anualmente pela Comissão Fulbright.

No valor máximo de 8 mil euros e com um duração que pode de quadro a nove meses, as bolsas Fulbright de Investigação destinam-se a investigadores de todas as áreas do conhecimento, desde que sejam licenciados, tenham bons conhecimentos de inglês e um projeto aceite por parte da instituição de acolhimento.

É esse o perfil comum aos seis investigadores da U.Porto que vão integrar a próxima edição o programaLiliana Abreu, licenciada e mestre em Sociologia pela Faculdade de Letras (FLUP), é estudante do Programa Doutoral em Saúde Pública da Faculdade de Medicina (FMUP) e investigadora no Instituto de Biologia Molecular e Celular da U.Porto (IBMC) e no Instituto de Saúde Pública da U.Porto (ISPUP). A próxima paragem é a University of Massachusetts (Boston), onde desenvolverá a tese de doutoramento centrada no estudo da literacia distribuída de pessoas com doenças crónicas, especificamente, asma e diabetes.

Igualmente ligado ao IBMC, Pedro Cecílio, licenciado, mestre e atual doutorando em Ciências Farmacêuticas na Faculdade de Farmácia (FFUP), terá como destino o National Institute of Health, em Rockville (Maryland),  A caminho dos EUA, mais propriamente da University of Michigan , está também Mariana Pereira, licenciada em Bioengenharia.

Da Faculdade de Medicina para a University of Alabama at Birmingham (UAB), onde ficará durante seis meses, será por sua vez o percurso feito por Pedro Pinheiro, estudante do Mestrado em Medicina e Oncologia Molecular da FMUP e afiliado ao Instituto Patologia e Imunologia Molecular Universidade do Porto (Ipatimup). Já Rosana Alves, licenciada em Bioquímica, vai desenvolver o seu trabalho, ligado à área da Genérica, na University of California, Berkeley (UC Berkeley).

Finalmente, Sofia Leite, licenciada e mestre em Psicologia Clínica pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação (FPCEUP) e estudante do Programa Doutoral em Engenharia Biomédica, irá realizar o seu projeto de investigação na Harvard University.

Sobre o Programa Fulbright

Administrado atualmente em mais de 150 países e patrocinado pelo Bureau of Educational and Cultural Affairs do Departamento de Estado dos Estados Unidos da América, o Programa Fulbright foi criado em 1946 por proposta do Senador J. William Fulbright com o objetivo de, através do intercâmbio internacional de estudantes e professores, promover o entendimento mútuo, a partilha de ideias e a busca de soluções para problemas globais. Em Portugal, o Programa é administrado pela Comissão Fulbright.

Desde o início da implementação do Programa Fulbright em Portugal, em 1960, mais de 1300 estudantes e professores portugueses e 750 norte-americanos receberam bolsas Fulbright numa variedade de áreas académicas.