Rei de Espanha enaltece a “pujança da Universidade do Porto”

Visita dos Reis de Espanha ao UPTEC

No final da visita ao UPTEC, Felipe VI e Letizia foram presenteados com um violino em fibra de carbono, concebido pela empresa IDEIA.M. (Foto: Egídio Santos/U.Porto)

Para o Rei de Espanha, “é a Universidade do Porto e o seu Parque de Ciência e Tecnologia que fazem do Porto uma cidade empreendedora por excelência, contribuindo para dinamizar a economia e atrair cada vez mais empresas”. As palavras  de Filipe VI marcaram a passagem dos monarcas espanhóis por Portugal, da qual se destaca a visita, esta terça-feira, ao Parque de Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC) e ao Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S), dois organismos onde puderam conhecer, in loco, alguns dos projetos desenvolvidos na Universidade nas áreas da inovação e empreendedorismo.

A visita dos Reis de Espanha à U.Porto (ver fotogaleria) teve início a meio da manhã, no UPTEC, onde foram recebidos pelo Reitor da Universidade. Começando por enaltecer a “excelente e importante colaboração” que a instituição mantém com várias universidades espanholas, Sebastião Feyo de Azevedo lembrou que “nos últimos cinco anos, recebemos uma média anual de 45 espanhóis, estudantes de grau ou de pós-graduação, mais de 250 estudantes de mobilidade e temos uma média anual de mais de 200 estudantes portugueses que escolhem Espanha para estudar”, para logo salientar a colaboração “intensa” com as universidades da Galiza, das Astúrias e de Castela e Leão, no quadro de “uma importante cooperação regional”.

No “berço de inovação” da U.Porto, os Reis puderam ainda conhecer o trabalho desenvolvido por várias startups – Veniam, Xpectraltek, Knok, WiseCrop e Abyssal – incubadas no “berço de inovação” da U.Porto. No final, foi-lhes oferecido um violino em fibra de carbono, concebido pela empresa IDEIA.M no Gabinete de Desenvolvimento de Produto do UPTEC.

Visita dos Reis de Espanha ao i3s

No i3S, os monarcas reuniram com a Comissão Diretiva e com os coordenadores dos três programas de investigação do instituto. (Foto: Egídio Santos/U.Porto)

Ainda na Asprela, Felipe VI e Letizia rumaram depois ao i3S, onde tiveram uma reunião privada com a Comissão Diretiva e com os coordenadores dos três programas de investigação (Cancro, Interação e Resposta do Hospedeiro e ainda Neurobiologia e Doenças Neurológicas) do instituto. Seguiu-se uma visita ao Serviço de Histologia e Microscopia Eletrónica e ao Laboratório de Biomateriais para Libertação Multi-estágio de Fármacos e Células, especializado no desenvolvimento de biomateriais para a regeneração de tecidos, assim como diagnóstico e tratamentoo de cancro.

A passagem dos monarcas espanhóis pela U.Porto aconteceu então depois de Felipe VI ter tecido rasgados elogios à Universidade durante a sessão solene na Câmara do Porto que marcou o arranque da visita, na passada segunda-feira. Referindo-se à “impressionante transformação” que a cidade viveu nos últimos anos, o Rei lembrou que “um dos elementos essenciais dessa transformação é a pujança da Universidade do Porto e do seu Parque de Ciência e a Tecnologia, que fazem do Porto uma cidade empreendedora por excelência, contribuindo para dinamizar a economia e atrair cada vez mais empresas”.

“É notável a grande quantidade de centros de investigação públicos e privados com sede no Porto, que têm acordos com as mais diversas instituições espanholas e internacionais”, considerou ainda Felipe VI .