Recursos Geológicos do Sudoeste de Angola estudados por docentes da FEUP

A área abrangida pelo estudo atingiu cerca de 11000 km2, e está situada a SW da cidade do Lubango (foto: Pixabay, Creative Commons )

A Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), numa ação de Cooperação Institucional com o Instituto Geológico (IGEO) de Angola, o Instituto Camões (IC), o Laboratório Nacional de Geologia (LNG) e o Centro de Pesquisas Geocronológicas (CPGeo) da Universidade de S. Paulo, do Brasil, albergou um projeto com o principal objetivo de criar e publicar a Carta Geológica do Sudoeste de Angola e respetiva memória descritiva.

Tendo como principais responsáveis José Feliciano Rodrigues (docente da FEUP) e Eurico Pereira (docente da FEUP e investigador do LNEG – Laboratório Nacional de Energia e Geologia), o projeto decorreu entre 2008 e 2013 e envolveu dezenas de pessoas. A área abrangida pelo estudo atingiu cerca de 11000 km2, e está situada a Sudoeste da cidade do Lubango. Esta é uma área considerada chave na compreensão da Geologia do Sudoeste de Angola, pelos seus alvos diversificados com interesse económico (rochas ultramáfico-máficas, elementos do grupo da platina, grande variedade de rochas ornamentais, entre outros). A investigação geológica de base foi assim o tema primordial de investigação, seguindo-se a componente económica de modo complementar.

As entidades que integraram a ação de cooperação acarinharam desde logo o projeto, o que permitiu reunir as principais instituições para o seu desenvolvimento. Faltava, porém, preencher a lacuna das datações geocronológicas de uma área desconhecida de Angola, fazendo surgir a participação do Centro de Pesquisas Geocronológicas (CPGeo) da Universidade de S. Paulo, Brasil, dotado de um dos melhores laboratórios de estudos isotópicos do globo.

Ao longo do projeto, realizaram-se duas campanhas de terreno em Angola, em 2009 e 2011, para recolha de elementos e amostragens geológicas, aproveitando a deslocação dos técnicos para realização de dois cursos de formação em Cartografia Geológica e em Geologia Estrutural e Tectónica. As deslocações dos docentes da FEUP ao SW de Angola foram sempre acompanhadas, no mínimo, por cinco técnicos superiores do IGEO que usufruíram da cooperação para melhorar os seus conhecimentos e experiência em trabalhos de investigação e pesquisa de recursos geológicos. No decurso do projeto decorreram ainda, nos laboratórios do LNEG, estágios e formação específica a seis técnicos superiores do IGEO.

Dos resultados atingidos salientam-se quinze datações geocronológicas U-Pb, e mais de cinquenta análises de rocha total, realizadas na área de intervenção do Projeto. As datações U-Pb são superiores, em número, a todas as já realizadas, até à presente data, sobre unidades geológicas de Angola. De referir ainda 6 publicações que foram editadas sobre o tema.