Vânia Neves

Vânia Neves (Pessoa)Nadar 10 quilómetros? Dói só de pensar, mas Vânia Neves consegue fazê-lo como poucos. Tanto que, no próximo dia 15 de agosto, esta estudante da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADEUP) vai juntar-se à elite mundial que vai participar na prova de Natação de Águas Abertas dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Atleta do Clube Fluvial Portuense, Vânia Neves garantiu pela primeira vez um lugar na “maratona aquática” dos Jogos depois de ser sido a 26.ª melhor nadadora mundial no conjunto das duas provas de qualificação. Para a prova que terá lugar na mítica Praia de Copacabana, a nadadora natural de Viana do Castelo não traça objetivos, mas não esconde a vontade de “ver a modalidade da natação e mais especificamente a disciplina de águas abertas, reconhecida no nosso país”

Licenciada em Ciências do Desporto e atual estudante do Mestrado em Treino de Alto Rendimento Desportivo da Faculdade de Desporto, Vânia Neves é a 89.ª atleta portuguesa e segunda estudante da FADEUP – a par da ginasta Filipa Martins – a ser apurada para esta edição do Jogos Olímpicos.

Naturalidade? Viana do Castelo

Idade? 25 anos

– De que mais gosta na Universidade do Porto?

O que mais me atrai na Universidade do Porto é o fantástico curriculum académico com que ficamos e a próxima entre os diferentes pólos universitários

– De que menos gosta na Universidade do Porto?

O facto de ser relativamente longe de casa.

– Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto? 

Mais atividades que promovam o convívios entre alunos de diferentes cursos e instituições

– Como prefere passar os tempos livres?

Os meus tempos livres são ocupados com leitura, cinema e longos passeios pela praia juntos daqueles que me são mais próximos.

– Um livro preferido?

Queimada viva, de Souad.

– Um disco/músico preferido?

Natiruts.

– Um prato preferido?

Lasanha.

– Um filme preferido?

“O Diário da nossa Paixão” (2004).

– Uma viagem de sonho? 

Médio Oriente, ainda por realizar.

 – Um objetivo de vida?

Ser feliz.

– Uma inspiração?

A minha mãe, sem sombra de dúvidas.