Investigador do CINTESIS assina “Top paper” em revista científica de referência

Jorge Polónia é o primeiro português a integrar o Scientific Council da ESH – European Society of Hypertension. (Foto: DR)

O artigo “Prognostic Effect of the Nocturnal Blood Pressure Fall in Hypertensive Patients: The Ambulatory Blood Pressure Collaboration in Patients With Hypertension (ABC-H) MetaAnalysis”, da autoria de Jorge Polónia, investigador do CINTESIS, Unidade de I&D da Universidade do Porto, foi selecionado como “Top paper” de 2016 da revista científica Hypertension, na categoria “Population Science”.

Em reconhecimento, os editores da revista, uma das mais prestigiadas a nível internacional na sua área, decidiram atribuir um prémio ao médico e investigador da U.Porto, que é também o primeiro português a integrar o Scientific Council da ESH – European Society of Hypertension, num mandato que começa em 2017 e termina em 2019.

Publicado no ano passado em coautoria com investigadores de vários países, o artigo da Hypertension aborda o valor prognóstico da queda noturna na pressão arterial (PA) em doentes hipertensos, no âmbito de uma meta-análise considerada a maior do género já realizada e que envolveu 17.312 doentes de três continentes.

As conclusões indicam que uma diminuição débil da pressão arterial durante a noite está associada a um pior prognóstico, independentemente dos níveis da pressão arterial de 24 horas monitorizada em ambulatório. Neste grupo de doentes, o risco de eventos cardiovasculares (como eventos coronários, AVC e mortalidade) era significativamente maior.

Estes resultados confirmam a necessidade de estudar a melhor forma de restaurar os padrões normais de redução da pressão arterial durante a noite, tendo em vista uma redução dos eventos cardiovasculares e da mortalidade. Um estudo anterior sugere, por exemplo, que uma alteração no horário da administração do medicamento anti-hipertensivo pode ser uma das estratégias a adotar para atingir valores mais baixos de PA durante a noite, logrando, assim, obter uma maior proteção cardiovascular e, como tal, maiores benefícios para os doentes tratados.

Licenciado e doutorado pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) e com especializações em Farmacologia Clínica e Medicina Interna, Jorge Polónia é atualmente coordenador na Unidade de Farmacovigilância do Porto, Consultor de Medicina e Hipertensão do Hospital Pedro Hispano, Professor Associado na FMUP e Professor Catedrático Convidado na Universidade de Aveiro.