Erasmus: U.Porto no topo europeu da mobilidade estudantil

Estudantes FLUP

EM 2012/2013, a U.Porto mobilizou mais de 1600 estudantes ao abrigo do programa Erasmus.

No ano letivo 2012/2013, a Universidade do Porto deu a 806 dos seus estudantes a oportunidade de realizaram um período de estudos /estágio ao abrigo do programa Erasmus. No mesmo período, a U.Porto recebeu 814 estudantes de toda a Europa, colocando-se assim entre as universidades europeias com maior presença naquele que é o mais conhecido programa de mobilidade no Ensino Superior.

De acordo com o último relatório publicado pela Comissão Europeia, a U.Porto surge no 33.º lugar no ranking das universidades que mais estudantes “exportam” (OUT) ao abrigo do programa Erasmus. A lista é liderada pela Universidade Complutense de Madrid (Espanha) e conta com mais três universidades espanholas (Sevilha, Granada e Valencia) no “top 5”, completado pela Universidade de Bolonha (Itália).

Em sentido contrário, a U.Porto foi a 24.ª universidade europeia mais procurada pelos estudantes estrangeiros (IN) que participaram no programa Erasmus em 2012/2013. Desta vez o primeiro lugar da lista é ocupado pela Universidade de Granada (1959 estudantes IN), seguida, mais uma vez, pelas universidades de Valencia, Sevilla e Complutense de Madrid (Espanha) e pela Universidade de Bolonha.

Na comparação com as restantes universidade portuguesas, a U.Porto foi aquela que mais estudantes mobilizou (1620, resultado da soma dos IN e dos OUT) ao abrigo do programa Erasmus no ano letivo 2012/2013. A instituição portuense ocupa também o primeiro lugar destacado entre as instituições nacionais que mais estudantes enviaram para as suas congéneres europeias, à frente da Universidade Técnica de Lisboa (77º lugar, com 566 estudantes OUT) e da Universidade Nova de Lisboa (83ª classificada, 549 estudantes OUT). Entre as instituições que receberam mais estudantes Erasmus, a U.Porto surge logo atrás da Universidade Técnica de Lisboa (16º lugar, 916 estudantes ). As outras universidades portuguesas presentes no “top 100” são a Universidade de Coimbra -(29º lugar, 775 estudantes IN), a Universidade Nova de Lisboa (37º lugar, 707 estudantes IN)  e a Universidade de Lisboa (61º lugar, 552 estudantes IN).

Em termos gerais, o Eramus mobilizou  cerca de 270 mil estudantes – 7 mil dos quais portugueses – dentro do espaço europeu só em 2012/2013, o que constitui um novo recorde na história do programa. A maioria destes estudantes frequentavam cursos de licenciatura (67%), destacando-se ainda os 55 mil estudantes (um quinto do total) que realizaram estágios em empresas. Espanha, Alemanha e França são os três destinos mais procurados pelos estudantes. Em termos percentuais, os países que mais estudantes enviaram para fora foram o Luxemburgo, o Liechtenstein, a FInãndia, a Letónia e a Espanha.

Estes números são conhecidos numa altura em que já se encontra em andamento o Eramus+, nova “vida” do programa Erasmus que, ao longo dos próximos sete anos (2014-2020), vai proporcionar a mobilidade de cerca de 4 milhões de estudantes universitários e funcionários dentro do espaço europeu, mas também entre a Europa e outros países parceiros em todo o mundo. “Irá permitir que mais jovens estudem, recebam formação, trabalhem ou façam voluntariado no estrangeiro», aponta Androulla Vassiliou, Comissária Europeia para a Educação, a Cultura, o Multilinguismo e a Juventude, para quem “os números mais recentes mostram que o programa Erasmus está mais popular do que nunca. Para além de incutir um sentimento de pertença à família europeia, as competências que o Erasmus promove também ajudam os estudantes a melhorar a sua empregabilidade e as suas perspetivas de carreira”.