BEST Porto: o início de um novo ciclo

newsletter_2

A direção do BEST PORTO é composta integralmente por estudantes da Universidade do Porto. (Foto: DR)

Depois de um ano intenso, que culminou com a EBEC Final em agosto, na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), e que permitiu que um grupo local do BEST em Portugal fosse, pela primeira vez, o anfitrião da maior competição europeia para estudantes de engenharia, o Board of European Students of Technology (BEST) Porto entrou numa nova fase. Foi tempo de balanços, de análises e também de renovação dentro da própria estrutura.

A cerimónia de tomada de posse da XX Direção do BEST Porto decorreu no passado dia 8 de outubro, na FEUP. Miguel Carvalho, estudante do Mestrado Integrado em Engenharia Mecânica, é o novo presidente.

Do conjunto de prioridades para o ano de 2015-2016, Miguel Carvalho destaca a necessidade de “continuar a desenvolver as capacidades interpessoais dos estudantes. Os principais projetos realizados pelo BEST Porto (EBEC Porto e o Curso de Verão) podem ser sempre melhorados e é esse um dos nossos propósitos”. Dada a preocupação crescente dos estudantes nas questões relacionadas com a componente carreira, esta será também uma área prioritária para o BEST Porto.

Durante a cerimónia de tomada de posse foi enfatizada ainda a excelente colaboração das faculdades de Engenharia e Ciências com o grupo local BEST Porto, relação que Miguel Carvalho gostaria de “melhorar e fortalecer” durante este mandato.

Para além de Miguel Carvalho (FEUP), o novo corpo diretivo do BEST Porto inclui ainda os estudantes da U.Porto Joana Silva (Tesoureiro, FCUP), Ana Gonçalves (Secretário, FEUP), Jaime Pignatelli (Vice-presidente, FEP) e André Machado (Vice-presidente, FEUP).

Grupo BEST existe desde 1989 e assume-se como  a maior rede europeia de estudantes de tecnologia. Esta organização está presente em 95 universidades europeias, em 33 países, chegando a cerca de 1.300.000 de estudantes de tecnologia. A associação pretende aproximar e melhorar as relações entre as três partes interessadas (empresas, alunos de tecnologia e universidades), através de três principais serviços: educação complementar, apoio à carreira e envolvimento educacional.