Estando o mundo a viver agora uma situação excecional de crise devido à pandemia da COVID-19, as mudanças de comportamento e realidade podem surgir em todos os aspetos da vida diária. Além disso, a rotina de trabalho também se alterou para uma grande parte dos portugueses, o que pode trazer um problema “escondido”: os ataques informáticos. A Adyta, uma empresa spin-off da Universidade do Porto especializada em cibersegurança, tem uma solução e está a disponibilizá-la de forma gratuita.

Segundo os responsáveis da Adyta, os períodos de fragilidade, como o caso das pandemias, tendem a ser apetecíveis também “a quem age de modo incorreto”. Além disso, e falando mais concretamente do contexto em que vivemos hoje, devido à propagação da doença muitas empresas colocaram os seus trabalhadores em regime de teletrabalho, o que faz com que se esteja mais exposto a problemas de cibersegurança.

“As pessoas estão a usar as redes domésticas para trabalhar e, infelizmente, nem todas estão conscientes dos cuidados que devem ter”, revela Carlos Carvalho, CEO da Adyta. O empreendedor dá como exemplo as notícias que, nos últimos dias, “deram nota do crescimento de ciber ataques e quebras de segurança e privacidade em empresas, órgãos de soberania e outras instituições, um pouco por todo o mundo”.

Sem dados pessoais

Neste contexto, é vital apostar em ferramentas capazes de manter elevados níveis de segurança, de modo a proteger os ativos e os negócios das empresas e organizações. A Adyta.Phone, criada pela Adyta, é uma aplicação móvel que providencia comunicações de voz privadas e seguras e que não utiliza qualquer dado pessoal do utilizador.

No nível mais elevado de proteção disponibilizado pela plataforma, todas as chamadas são protegidas por criptografia de alto nível, autenticada e ponta a ponta. As chamadas através da Adyta.Phone não são por isso suscetíveis a ataques de captadores IMSI, SS7 ou outras ameaças à rede móvel.

Preocupados com a conjuntura atual, quer no que diz respeito à saúde como no que toca à crise económica que se antevê, a Adyta resolveu disponibilizar a app de forma gratuita a quem quiser: “Diretamente sobre os cuidados de saúde às pessoas nada podemos fazer. Mas podemos contribuir para que as organizações possam, mesmo em teletrabalho, promover os níveis de segurança e privacidade das suas comunicações”, conta Carlos Carvalho.

A oferta vigora durante o período de crise associado à COVID-19 e está disponível para todo o tipo de organizações, desde startups a grandes empresas, independentemente da sua natureza ou dimensão.

Para usufruir – pelo período mínimo de um mês – basta contactar a Adyta através do email comercial@adyta.pt e aguardar que os responsáveis indiquem os procedimentos necessários. A app está disponível para sistemas iOS e Android.

Sobre a Adyta

A ADYTA é uma spin-off da Universidade do Porto, com capitais exclusivamente portugueses, que tem como objetivo a promoção de soluções especializadas e ajustadas às necessidades de órgãos de soberania, grupos empresarias e outras organizações que, pela natureza das suas atividades, tratem informação e dados de caráter sensível ou classificado.

A ADYTA centra a sua atividade na área da defesa e proteção de comunicações através de soluções inovadoras e ajustadas a cada cliente. Além do desenvolvimento dessas soluções, presta também serviços nas áreas de desenho e implementação de sistemas de cloud e na área da proteção de dados, com uma equipa altamente especializada, tanto em auditorias e análise de vulnerabilidades de sistemas e redes, como na gestão de dados.