Sobrinho Simões vence Prémio Gago em Política Científica Europeia

Manuel Sobrinho Simões (Foto: Egidio Santos/U.Porto)

O professor e investigador da Universidade do Porto Manuel Sobrinho Simões foi um dos cinco cientistas europeus distinguidos com os Prémios Gago em Política Científica Europeia, iniciativa englobada na primeira primeira Conferência Gago e que visou reconhecer o trabalho dos galardoados na área da ciência e da promoção da cultura científica na Europa.

Um dos mais reconhecidos cientistas portugueses e autoridade mundial no estudo do cancro da tiróide, Sobrinho Simões é fundador e diretor do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (Ipatimup), e vice-diretor do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (i3S). o “super-centro de investigação” que ajudou a criar a partir da colaboração entre três dos mais conceituados centros de investigação da U.Porto: o IPATIMUP, o Instituto de Biologia Molecular e Celular (IBMC) e o Instituto de Engenharia Biomédica (INEB).

Autor de cerca de 350 artigos científicos originais, revisões e relatos de casos publicados em revistas internacionais, foi presidente da Sociedade Europeia de Patologia e integra os conselhos científicos da Escola Europeia de Patologia, do Curso Europeu de Patologia Celular e da Associação Europeia de Prevenção de Cancro e integra o Comité Redatorial da Associação de Directores de Patologia Cirúrgica dos E.U.A. (ADASP).

O investigador recebeu o prémio das mãos de Carlos Moedas, Comissário Europeu para a Investigação, Ciência e Inovação  (Foto: i3S)

Em paralelo com o percurso científico, Sobrinho Simões cimentou a sua carreira de docente na Faculdade de Medicina do Porto (FMUP), instituição onde se formou e na qual foi Professor Catedrático de Anatomia Patológica até à sua jubilação, em 2017. Lecionou também na Faculdade de Medicina da Universidade de Zhengzhou e em cerca de 30 universidades e institutos de oncologia europeus, norte-americanos, latino-americanos e asiáticos.

Considerado o patologista mais influente do mundo pela revista científica The Pathologist, em 2015, foi distinguido com a Grã Cruz da Ordem do Infante D. Henrique (2004) e com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada (2017). Entre os muitos prémios e distinções nacionais e internacionais que acumulou durante a carreira inclui-se ainda o Prémio Bordalo – Ciência (1996), Prémio Seiva Trupe – Ciência (2002). o Prémio Pessoa(2002), ou a medalha de serviços distintos do Ministério da Saúde grau ouro (2012).

Os Prémios Gago em Política Científica Europeia foram entregues durante a primeira “Gago Conference on European Science Policy”, evento que decorreu esta quarta-feira, no i3S, e que teve o cancro como tema central. Para além de Sobrinho Simões, foram ainda distinguidos o presidente do Conselho Europeu de Investigação (ERC), Jean-Pierre Bourginon, o diretor-geral do Cancer Core Europe (rede europeia de instituto de investigação do cancro) e presidente da Academia Europeia de Ciências do Cancro, Alexander Eggermont, o diretor do Centro do Cancro de Karolinska (Suécia), Ulrik Ringborg, e a diretora do painel científico para a saúde do programa de financiamento Horizonte 2020, da Comissão Europeia, Karin Sipido.