Rede social inovadora vale 25 mil euros a estudantes da U.Porto

Projeto original vale prémio de 25 mil euros aos três estudantes da U.Porto

São três estudantes da Universidade do Porto e, juntos, criaram o Taggeo, uma rede social que permite deixar mensagens geo-localizadas e que acaba de ser distinguida com o Prémio Inov C 2012, no valor de 25 mil euros.

Tiago Fernandes, estudante do Programa Doutoral em Engenharia Informática (PRODEI) na Faculdade de Engenharia da U.Porto (FEUP); Mariana Teixeira, do Mestrado em Inovação e Empreendedorismo Tecnológico (MIET), também na FEUP; e Rúben Ribeiro, do Mestrado em Economia e Gestão Internacional (MEGI) da Faculdade de Economia da U.Porto (FEP) explicam o conceito: se estiver a andar pela rua poderá deixar uma mensagem geo-localizada num determinado sítio para um amigo, que, ao passar pelo mesmo local, irá receber a mensagem lá deixada como se fosse uma mensagem normal. No entanto, os estudantes revelam que o projeto vai muito além da componente de rede social, consistindo num alargado conjunto de serviços web, com vista à criação de atividades de marketing interativo e geo-localizado.

Embora já existam no mercado várias plataformas que funcionem como redes sociais e que incluam a componente de geo-localização, a tecnologia Taggeo permite a integração de vários serviços, como de geo-localização, social networking e agregação de redes sociais, sendo possível criar aplicações próprias e personalizadas. “A grande proposta de valor do Taggeo reside na sua flexibilidade e na possibilidade que oferece de construir novas aplicações ou utilizações da tecnologia. Por exemplo, ao contrário das plataformas já existentes, uma mensagem no Taggeo pode ser deixada em qualquer local e não apenas em pontos de interesse como restaurantes ou monumentos. Por outro lado, uma mensagem no Taggeo pode ser constituída por, virtualmente, qualquer tipo de dados, o que possibilita a construção de um leque muito vasto de aplicações com características e propósitos únicos em cada caso, mas que se baseiam na nossa tecnologia”, destacam os estudantes.

A ideia desta aplicação nasceu em 2007, mas apenas em setembro de 2012 foi possível avançar com o desenvolvimento da primeira versão. Em pouco mais de três meses, o Taggeo já conta com cerca de 600 utilizadores e 3000 downloads. De acordo com a equipa vencedora, o prémio representa “um ponto de partida extremamente importante no sentido da construção de negócio e um impulso essencial para nos podermos lançar como uma marca forte e uma referência, tanto no mercado nacional como em mercados externos”.

Neste momento, já estão a ser patenteados os vários aspectos da tecnologia construídos no âmbito do projeto. O próximo passo traçado pelos jovens empreendedores será arrancar com a empresa baseada no projeto Taggeo, com foco na expansão e na internacionalização do projeto, através da construção de uma base sólida de utilizadores que torne a aplicação mais interessante a nível de marketing, e também de empresas interessadas em construir aplicações baseadas nesta tecnologia.

As aplicações móveis estão disponíveis para dowload gratuito na AppStore (iPhone), no Google Play (Android) e no Windows Phone Marketplace (Windows Phone 7 e 8). Podem ainda seguir as últimas novidades do projeto no Facebook, Twitter e blog.