Investigadora da FEUP ganha prémio “Fundação Eng. António de Almeida”

Mariana Banea é investigadora do Departamento de Engenharia Mecânica da FEUP e do LAETA.

Um projeto da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) que estuda como as juntas adesivas dos veículos aeroespaciais se comportam em altas temperaturas acaba de ser distinguido com o prémio “Fundação Eng. António de Almeida”. O estudo é da autoria de Mariana Banea, investigadora do Departamento de Engenharia Mecânica da FEUP e do Laboratório Associado em Energia, Transportes, Aeronáutica e Espaço (LAETA). Neste projeto foram desenvolvidas também ferramentas de previsão da rotura das juntas coladas.

“O uso sistemático destas ferramentas é um aspecto extremamente importante para a redução do número de ensaios experimentais a realizar durante a fase projeto de uma estrutura, permitindo uma redução significativa dos custos associados a estes testes. Dado que as juntas usadas em veículos aeroespaciais sofrem variações importantes de temperatura, que afetam as propriedades mecânicas dos adesivos, o seu estudo é de extrema importância”, destaca a investigadora.

A investigação foi desenvolvida no âmbito do Programa Doutoral em Engenharia Mecânica da FEUP, resultando na tese “High temperature adhesives for aerospace applications”, que teve a orientação de Lucas da Silva, docente do Departamento de Engenharia Mecânica da FEUP.

Anteriormente, o trabalho de Mariana Banea já fora distinguido com o “2010 SAGE Best Paper Award”, pela Editor and Editorial Board of the Journal of Materials: Design and Applications e com o “Donald Julius Groen Prize for 2010”, pela Structural Technology and Materials Group Prizes and Awards of Institution of Mechanical Engineers, UK.

Mariana Banea concluiu a Licenciatura e o Mestrado em Engenharia Mecânica, ambos na Universidade Dunarea de Jos, Galati, (Roménia) e está em Portugal desde 2005. Atualmente, o seu trabalho de pós-doutoramento foca-se no estudo de juntas adesivas inteligentes, tendo como principal objetivo investigar a capacidade “auto-regenerativa” para adesivos estruturais, com o intuito de prolongar o tempo de vida em serviço e fadiga para juntas coladas, através da utilização de partículas termicamente expansíveis.

O prémio “Fundação Eng. António de Almeida” foi entregue durante a cerimónia do Dia da FEUP, que decorreu a 16 de janeiro, na FEUP.