Digital Health Venture Forum premeia spin-offs da U.Porto

Foram dois dias intensivos para as dezenas de startups – portuguesas e internacionais – selecionadas para participar no Digital Health Venture Forum, uma iniciativa organizada pela Tech Tour e pela Universidade do Porto, que aconteceu pela primeira vez em Portugal. No final da jornada foram distinguidas 10 empresas, duas delas spin-offs da U.Porto: a Shop AI e a Tonic App.

Criado com o objetivo de promover a inovação e o investimento nas melhores empresas tecnológicas da Europa, o DHVF reuniu mais de 150 pessoas na Porto Business School, entre elas empreendedores, oradores convidados, empresas e investidores. Durante dois dias, as empresas selecionadas apresentaram os seus projetos a painéis de renome, receberam feedback sobre os seus modelos de negócio e puderam ter reuniões bilaterais com potenciais investidores, que poderão dar origem a financiamento (uma das maiores dificuldades que as startups encontram nos dias que correm).

No final, e tendo em conta critérios como o modelo de negócio, a experiência da equipa, o mérito da tecnologia, entre outros, os painéis de júris selecionaram as 10 melhores, que terão agora oportunidade de apresentar o seu pitch no Venture Academy Contest Final, já em dezembro. Além da TonicApp e ShopAI, outra empresa portuguesa foi distinguida: a Nutrium.

“Vencer este prémio é importante para a Tonic App, porque traduz o reconhecimento específico de investidores europeus interessados em saúde digital, a área em que operamos”, referiu Daniela Seixas, CEO da Tonic App, satisfeita com o reconhecimento. Tendo sido já apelidada como um verdadeiro Google para médicos, a aplicação da spin-off junta, num único sítio, informações úteis para médicos que os auxiliem no diagnóstico e tratamento dos seus pacientes.

Já a tecnologia da ShopAI torna possível, através de uma simples fotografia, encontrar uma peça de roupa que queremos online. Pedro Esmeriz, CTO da empresa, realça a importância deste tipo de eventos para a spin-off: “Participar no DHVF permitiu desenvolver e promover a ShopAI em várias vertentes. A possibilidade de ter acesso a pessoas tão experientes foi uma mais valia, não só pela possibilidade de expandir a nossa rede de contactos mas também pelo feedback construtivo que recebemos”. Para a ShopAI foi também muito importante interagir com empresas de outros países, com as quais puderam “partilhar experiências e obstáculos”.

Pedro Esmeriz, CTO da SHOPAI, durante a entrega de prémios.

Dois dias de spotlight para startups tecnológicas

Dando continuidade à missão de apoio ao empreendedorismo, a U.Porto Inovação associou-se à Tech Tour para trazer o Digital Health Venture Forum para a Universidade. “É com muito orgulho que acolhemos um evento desta envergadura, numa altura em que a inovação desempenha um papel fundamental na nossa sociedade. Falando mais especificamente da inovação na saúde, o crescimento também tem sido notável. E é importante que sejamos capazes de olhar para as novas tecnologias e para o digital como parte integrante dos cuidados médicos dos dias que correm, pois eles providenciam-nos soluções capazes de melhorar cada vez mais a nossa qualidade de vida”, referiu Helder Vasconcelos, vice-reitor da U.Porto, no seu discurso inaugural.

Passaram pelo DHVF perto de 40 empresas tecnológicas europeias, cujo core business passa pela Saúde Digital ou pelas Novas Tecnologias. No primeiro dia, durante a Venture Academy, todos os representantes receberam feedback e formação de mentores especializados – entre membros da academia, indústria e outras entidades – uma ajuda preciosa para o pitch final do segundo dia. Aí, as empresas apresentaram-se às mais de duas dezenas de investidores presentes, vindos de entidades como as nacionais Pathena e Portugal Ventures, ou as internacionais Phillips Health Care e Boston Scientific.

Soluções para criar tutoriais interativos, novas ideias para tratar condições de pele, um verdadeiro Google para médicos, sistemas pensados para pessoas com diabetes, serviços digitais para procurar cuidados médicos. São apenas alguns exemplos das muitas ideias apresentadas durante o DHVF, acompanhadas durante os dois dias por painéis de especialistas nacionais e internacionais de variadas instituições de renome na área da Saúde Digital.

Além dos momentos de spotlight e reconhecimento para as startups, o Digital Health Venture Forum foi um verdadeiro palco do que de melhor se faz ao nível da Saúde Digital na Europa. Entre os oradores convidados estiveram, por exemplo, Jorge Santos da Silva e Tobias Silberzahn, da McKInsey & Company e Joan Cornet Prat, da European Connected Health Alliance, que brindou os participantes com uma intervenção sobre novas tendências e desafios na Saúde Digital atualmente.

Depois do sucesso da iniciativa, realçado por Teresa Cunha (TechTour) e Maria Oliveira (U.Porto Inovação) na sessão de encerramento e entrega de prémios, espera-se que o Digital Health Venture possa voltar a ter casa na U.Porto em 2020. “A iniciativa foi um verdadeiro sucesso e todas as startups estão de parabéns pelo trabalho que desenvolveram durante a jornada. Esperamos continuar a apoiar este tipo de iniciativas”, concluiu Maria Oliveira.