Universidade do Porto reforça aproximação às empresas

Fazendo jus à Terceira Missão da Universidade do Porto, a equipa da U.Porto Inovação continua a trabalhar na aproximação ao tecido empresarial, organizando encontros com empresas de renome nacional e internacional. O objetivo principal desses encontros é fazer nascer parcerias de Investigação & Desenvolvimento e Inovação que beneficiem tanto a Universidade como os seus parceiros, bem como aumentar a rede dos mesmos.

A primeira reunião teve lugar na sede da empresa COLEP (na fotografia, à esquerda), empresa pertencente ao grupo RAR e líder global na produção de embalagens e no fornecimento de aerossóis e outros produtos para indústria de bens de consumo. André Fernandes, Maria Oliveira e Joana Carrilho, da U.Porto Inovação, visitaram a empresa e reuniram com os seus responsáveis de inovação, conversando sobre a possibilidade de uma parceria de médio prazo em I&D e Inovação. Este foi um diálogo que começou na Gala da Inovação da U.Porto em 2016, partindo também do recém reforço da equipa de inovação da COLEP e do incremento da estratégia da empresa em inovação.

Na semana seguinte a U.Porto Inovação visitou a sede do Health Cluster Portugal com o objetivo de avaliar possibilidades de colaboração que passem, por exemplo, pela organização de eventos de aproximação à indústria e de dinamização do sistema nacional de inovação. Esta primeira reunião teve como pano de fundo as atividades de dois projetos financiados (o Helium e o U.Norte Inova) nos quais a Universidade do Porto é parceira através da U.Porto Inovação. Como o próprio nome indica, a área da saúde é uma das principais forças possíveis nesta parceria, vista como prioritária tanto para o HCP como para a Universidade. O HCP tem como objetivo principal a consolidação de um polo nacional de competitividade, inovação e tecnologia de vocação internacional na área da saúde, meta para a qual a U.Porto Inovação poderá contribuir para construir uma vez que está constantemente em contacto com os mais recentes desenvolvimentos tecnológicos e com as novas empresas emergentes.

Nas semanas seguintes iniciaram-se conversações com a Águas do Porto, empresa que ambiciona servir de forma inclusiva os munícipes da região com sistemas cada vez mais modernos de informação sobre os consumos de água e também com a Sword Health, instituição que ambiciona mudar o paradigma da fisioterapia desenvolvendo soluções virtuais.

A reunião com a Águas do Porto teve lugar na Faculdade de Engenharia (FEUP), instituição representada por Pedro Coelho da Divisão de Cooperação da mesma, e também pelo docente e investigador Adriano Carvalho (diretor do Departamento de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores). Do lado da Águas do Porto participaram Francisco Cardoso, Pedro Vieira e Rita Cunha, da área da inovação e dos sistemas de informação. O encontro centrou-se em dois desafios concretos da empresa municipal gestora do sistema de águas potáveis e de saneamento da cidade do Porto, procurando estabelecer uma parceria útil com a Universidade para que se encontrem soluções. Esses desafios inserem-se no objetivo global de transformar o Porto numa Smart City, aproveitando de forma mais plena o potencial das novas tecnologias da informação e comunicação. Além desta questão, os responsáveis da Águas do Porto lançaram também o desafio à comunidade da U.Porto para que proponham os seus próprios projetos que, eventualmente, possam ser testados em colaboração com a empresa.

Ainda na mesma semana a U.Porto recebeu a visita da Sword Health no Laboratório de Instrumentação para Medição da Faculdade de Engenharia (FEUP), liderado pela docente e investigadora Teresa Restivo. Além do contacto com alguns resultados e competências da investigação aí produzida, foram também avaliadas oportunidades de desenvolvimento e comercialização de uma tecnologia chamada SHARE mas também pensado como se poderão aplicar outros resultados desta equipa de investigação nos desafios que a Sword Health enfrenta. Neste momento, a empresa está especialmente concentrada em fisioterapia para Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC).

Estas sessões tiveram o apoio do U.Norte Inova, um projeto financiado pelo Norte2020, Portugal 2020 e União Europeia.