U.Porto cresce no “top 10” iberoamericano de investigação científica

investigação FEUP

Os investigadores da U.Porto publicaram 17.783 artigos entre 2009 e 2013.

A Universidade do Porto ascendeu à sétima posição do SIR IBER (The Ibero-American SCImago Institutions Ranking), cuja edição 2015 resultou da análise da produção científica das instituições de ensino superior iberoamericanas (América Latina, Caraíbas e Península Ibérica) entre 2009 e 2013.

Publicado pelo Grupo SCImago e tendo como fonte de informação a base de dados Scopus, este ranking resulta de uma análise comparativa da atividade científica de todas as instituições do espaço iberoamericano, de acordo com indicadores bibliométricos como o número de publicações, o impacto, o fator de qualidade,  o índice de especialização, a liderança científica ou a excelência das publicações.

No caso da U.Porto, ascende três lugares em relação a 2014 (do décimo para o sétimo lugar), sendo a única do “top 10” a subir a sua classificação. No total, a Universidade  contabiliza 17.783 artigos publicados no período em estudo, mais 2.000 do que os 15.750 registados em 2014 (relativos ao período entre 2008 e 2012) e 5.000 face à edição 2013 (12.904 artigos publicados entre 2007 e 2011). A U.Porto regista ainda um fator de impacto (citações por publicação) de 1.16, o que significa que é citada cerca de 16% acima da média mundial.

A subida deste ano, em paralelo com o crescimento que a investigação da U.Porto vem registando de ano para ano, deixa antever um cenário de nova subida na próxima edição do ranking, reforçando aquele que é um dos pilares estratégicos da instituição: a sua afirmação enquanto Universidade de investigação.

Em termos globais, o SIR IBER 2015 (ver lista completa) é liderado pela Universidade de São Paulo (Brasil), seguida da Universidade de Lisboa (cujo desempenho traduz o impacto da fusão da Universidade Técnica de Lisboa com a Universidade Clássica de Lisboa, em 2013) e da Universidad Nacional Autonoma de Mexico (México). As outras universidades portuguesas presentes no “top 50” são a Universidade de Coimbra (25.ª), a Universidade de Aveiro (27.ª), a Universidade Nova de Lisboa (31.ª), a Universidade do Minho (33.ª).