Portos portugueses pioneiros mundiais em inovação tecnológica

Leixões e viana do castelo são, desde setembro, dos portos tecnologicamente mais inovadores do mundo através da solução 3port, que pretende ser exportada para brasil, angola, peru e chile

Solução 3Port pretende ser exportada para Brasil, Angola, Peru e Chile.

Portugal tem, desde setembro, dos portos tecnologicamente mais inovadores do mundo. O Porto de Leixões e o de Viana do Castelo, geridos pela Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL), serviram de piloto numa ação de inovação realizada pelo INESC TEC  e a TRIEDE TTI. A ferramenta 3Port permite gerir várias das necessidades e dos processos de negócio das autoridades portuárias de forma integrada, mas também interagir com o público geral, que pode, por exemplo, ver em tempo real o que está a acontecer no porto (http://livemap.apdl.pt).

O 3Port assenta em oito módulos, sete dos quais são apenas para acesso do porto – hidrografia (dragagens e áreas navegáveis), tráfego portuário, dominial (licenças e concessões), estudos e obras, prevenção e segurança, ambiente e cadastro e património – e um público. A maior parte destes módulos foram introduzidos pela primeira vez na gestão de processos de Leixões e Viana do Castelo.

O objetivo é fazer desta solução uma ferramenta indispensável aos serviços técnicos para suporte e gestão adequada dos processos. Através desta inovação, que acrescenta valor ao porto e à sua atividade, é feita uma interligação das áreas estratégicas, com fornecimento e partilha de dados estruturados, num contexto georreferenciado.

Algumas das vantagens do 3Port são o suporte à tomada de decisão, os ganhos de eficiência e a diminuição de custos de operação, que juntas potenciam crescimento sustentável.

“Outra das vantagens da solução é que é ela que se adapta aos processos do porto e não o contrário e tem uma caraterística de interoperabilidade, isto é, não replica a informação, mas acede ao sítio onde ela reside e interage de modo integrado com as restantes ferramentas do ecossistema portuário”, explica Lino Oliveira, o investigador do INESC TEC responsável pelo projeto, que demorou dois anos a ser desenvolvido.

Baseado em tecnologias web open source, o 3Port faz uma integração homogénea tanto de sistemas internos do porto como de informação pública.

Este triângulo de transferência de tecnologia composto pelo INESC TEC (o produtor de inovação), a TRIEDE TTI (o tomador da inovação e produtor da solução) e a APDL (o tomador da solução e quem identifica os requisitos) faz com que estes portos nacionais sejam atualmente os mais evoluídos do mundo em termos de I&D.

De acordo com o investigador, Leixões, que recentemente arrecadou o terceiro lugar na categoria de “Melhor Porto do Ano” pelos investimentos realizados no setor dos cruzeiros e na promoção do turismo, ficando apenas atrás dos Portos de São Francisco (EUA) e Amesterdão (Holanda), foi mais uma vez o piloto e um exemplo de inovação, mas as conversações com outros portos em Portugal para adoção desta solução estão em curso. As expectativas em termos de exportação da solução passam, de momento, pelo Brasil, Angola e Peru.

A vertente pública 3 Port Live Map funciona, para além de computadores e tablets, em smartphones sem que para isso seja necessário descarregar uma aplicação, uma vez que o sistema é adaptável ao browser em qualquer dispositivo móvel.