FEP e Ordem dos Economistas debatem “A Economia e o Futuro”

a economia e o futuro_oradores

O Presidente do Conselho Nacional de Educação, David Justino, e o Professor de Economia na University College London, Pedro Carneiro são os oradores da primeira conferência.

A Faculdade de Economia da Universidade do Porto (FEP) acolhe na próxima quinta-feira, 29 de setembro, às 18h00, a conferência “Capital Humano, distribuição do rendimento e da riqueza na economia: educação e desigualdade”, que terá como oradores o Presidente do Conselho Nacional de Educação, David Justino, e o Professor de Economia na University College London, Pedro Carneiro, e como moderador Ricardo Arroja, da Direção da Ordem dos Economistas.

Trata-se da primeira conferência do ciclo “A Economia e o Futuro”, promovido pela FEP em parceria com a Ordem dos Economistas, o qual contempla três sessões públicas de análise e debate de questões relacionadas com “Capital Humano, Distribuição do Rendimento e Riqueza”.

Além das conferências, este ciclo integra também um concurso de ensaios destinado a estudantes da FEP que, à data da candidatura, estejam inscritos nas licenciaturas (2º e 3º anos) e mestrados, os quais contarão com orientação por parte de estudantes dos doutoramentos da FEP.

“Espera-se que do conjunto das sessões públicas programadas e do envolvimento dos estudantes da FEP no concurso de ensaios resulte um melhor conhecimento, divulgação e consciência política e social sobre o importante tema desta primeira edição”, salienta Álvaro Aguiar, diretor do Mestrado em Economia da FEP e corresponsável pela organização da primeira edição deste ciclo.

Desta forma, o tema de economia escolhido nesta primeira edição será analisado e debatido em diversas vertentes com base nos contributos de especialistas – quer académicos, quer profissionais -, com a colaboração do CEF.UP – Centro de Economia e Finanças da UP, e com a participação de estudantes dos três ciclos de estudos de Economia e Gestão.

”A Economia e o Futuro” é uma iniciativa virtuosa em diversas vertentes. Desde logo, consubstancia uma colaboração entre a Ordem dos Economistas e a Academia, neste caso com a Universidade do Porto, com incidência, por um lado, na análise económica aplicada e, por outro lado, na participação ativa dos estudantes dos três graus de formação universitária (licenciatura, mestrado e doutoramento) ”, acrescenta Álvaro Aguiar.

As candidaturas decorrem até 30 de setembro. O(s) melhor(es) ensaio(s) serão apresentados no Congresso Nacional dos Economistas e publicados nos Cadernos de Economia da Ordem dos Economistas. Será ainda atribuído um prémio monetário no valor de 500 euros para o melhor ensaio.

Mais informações aqui.