“As funções do Estado” em debate na FEUP

O financiamento das funções sociais do Estado e a sua sustentabilidade a prazo será um dos temas em discussão. (Foto: DR)

Quais as funções que o Estado deve assegurar na sociedade atual? Que papel poderão desempenhar as organizações privadas? Como assegurar o financiamento das funções sociais do Estado e a sua sustentabilidade a prazo, tendo em conta o atual quadro demográfico e o contexto da Moeda Única. Estas são algumas das questões que vão estar em discussão no regresso do Ciclo “Novos Paradigmas”, a decorrer no próximo dia 21 de maio, às 18h00, no anfiteatro B002 da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).

A sexta sessão do Ciclo de Debates “Novos Paradigmas” vai ter como tema central “As funções do Estado” e contará com as participações de Jorge Bateira (economista e professor de economia política internacional na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra) e de Daniel Bessa (professor da EGP-UPBS, exministro da Economia, Indústria, Comércio e Turismo de 1995 a 1996 e atual diretor da COTEC Portugal – Associação Empresarial para a Inovação), como principais oradores convidados.

Problemas relacionados com a fome, com os cuidados de saúde e serviços de educação, com o crescimento da população mundial, o envelhecimento, os compromissos do Estado e a consciência social e ética são alguns dos pontos que serão abordados neste debate.

O cicloNovos Paradigmas, debates na FEUP” é uma iniciativa de pedagogia ativa, em que os estudantes desempenham o papel central, tendo em vista uma melhor e mais profunda auto-aprendizagem e desenvolvimento de capacidades e competências. De acordo com a organização do evento, em cada novo debate, “procura-se discutir novos paradigmas ou modelos de vivência e organização da economia e da sociedade que substituam uma sociedade de consumo, – hedonista, comandada pelo desejo de lucro e, na prática dominada por poucas pessoas que detêm o controlo do sistema financeiro, – por uma sociedade mais humana, mais democrática, mais equilibrada, justa e sustentável, social e ambientalmente”.

A entrada é livre mas as inscrições são obrigatórias, mediante o preenchimento do respetivo formulário.