Voluntários da U.Porto plantaram um milhar de árvores em Marco de Canaveses

Mais de 100 voluntários participaram nesta iniciativa da U.Porto e da Porto Business Shool.

Mais de 100 estudantes, antigos estudantes, professores e colaboradores da Universidade do Porto aceitaram o desafio de dedicar a manhã de sábado de 3 de dezembro para ajudar a reflorestar uma área do concelho de Marco de Canaveses devastada pelos incêndios do último verão.

Sob o lema “Regresso ao Futuro com 1000 Árvores!”, a iniciativa da Universidade do Porto e da Porto Business School, que contou com o apoio da Câmara Municipal de Marco de Canaveses e das empresas Navigator, Cerealis e SONAE, reuniu a comunidade académica da U.Porto com o objetivo de plantar um milhar de carvalhos na Serra de Montedeiras.

Foi o caso de Joana Barros, antiga estudante da FEUP, graduada em Engenharia do Ambiente em 2015, que se juntou a esta causa como uma forma de fazer algo novo: «Foi a minha irmã que me falou desta iniciativa e achei que seria muito interessante participar, pela primeira vez, numa ação de reflorestação desta dimensão».

Os voluntários plantaram cerca de um milhar de carvalhos na Serra de Montedeiras.

Ao contrário de Joana Barros, Pedro Henrique Penna já tinha participado em grandes ações de reflorestação, mas estava foi a primeira vez que o fez fora do seu país natal, o Brasil. O estudante da Universidade Católica de Brasília encontra-se em mobilidade académica na FADEUP desde o início do ano letivo e não quis deixar passar esta oportunidade para «deixar a sua marca em Portugal».

Ativista de movimentos ambientalistas no Brasil e participante regular em ações de voluntariado, Pedro Henrique Penna é da opinião que «os universitários devem servir de exemplo, contribuindo para o progresso da sociedade», pelo que participar nesta iniciativa foi, para além de «um prazer», uma «gratificação pelo tempo que estou passando no Porto».

Também naturais do Brasil, Naiara, Ana Beatriz, Filipe e Alysson juntaram-se ao português Vinício para experimentar pela primeira vez a plantação de árvores. Bastou ver o anúncio da iniciativa no Facebook para se inscreverem nesta iniciativa que, segundo a opinião generalizada, foi «uma experiência para repetir», particularmente «pela oportunidade para conhecer a paisagem e a história de Portugal».

De facto, após a plantação das árvores, os participantes tiveram direito a uma visita guiada particular à Estação Arqueológica do Freixo (Marco de Canaveses), onde puderam conhecer os vestígios da cidade romana de Tongobriga, uma das mais antigas que se conhecem na Península Ibérica.

O Reitor da U.Porto e o Presidente da Câmara Municipal de Marco de Canaveses também participaram na plantação de árvores.

Esta cooperação conjunta entre a Universidade do Porto e a Câmara Municipal de Marco de Canaveses foi assinalada com a presença do reitor Sebastião Feyo de Azevedo e do presidente da autarquia Manuel Moreira. Ambos fizeram questão de agradecer o empenho dos voluntários presentes antes de eles próprios se dedicarem à plantação das árvores cedidas pela Navigator.

Ao final da manhã, já a Serra de Montedeiras estava um pouco mais verde e a centena de voluntários da Universidade do Porto um pouco mais realizados com a contribuição que fizeram para o futuro da floresta em Marco de Canaveses.