Tiago Laranjeiro

Tiago Laranjeiro tem 24 anos e é estudante da Faculdade de Economia da Universidade do Porto. Elege as “tripas à moda do Porto” como prato favorito e, no que diz respeito ao seu tempo livre, prefere passá-lo “a ler, a viajar e com amigos, a debater”. E foi a paixão pelo debate que o levou, juntamente com Ary Ferreira da Cunha, a Berlim para participar na edição de 2013 dos World Universities Debating Championships (WUDC), em representação da Sociedade de Debates da Universidade do Porto.

A competir na categoria EFL – English as Foreign Language, a equipa Porto A  (em representação da Sociedade de Debates da Universidade do Porto) ultrapassou nove rondas de debates iniciais e obteve a qualificação para a final num debate que decorreu durante a noite do dia 2 de janeiro, tornando-se assim na única equipa portuguesa a estar presente numa fase final dos WUDC. Na final, a prestação não poderia ter sido melhor: trouxeram o título de campeões mundiais, o título de Best Speaker da final e da categoria (para Ary Ferreira da Cunha) e também o sexto lugar na tabela dos melhores speakers para Tiago Laranjeiro.

De que mais gosta na Universidade do Porto?

Do ambiente que existe, do cruzamento de tantas pessoas estimulantes numa mesma academia, da diversidade e qualidade dos grupos de extensão curricular e extracurriculares, fazendo da U. Porto uma referência única, no país e mesmo a nível internacional em tantas áreas, como espaço não só de formação “formal”, mas também de formação de cidadãos.

De que menos gosta na Universidade do Porto?

Das dificuldades que tantas vezes existem para uma maior “miscigenação” entre pessoas de faculdades diferentes, com o risco existente para que cada faculdade se feche em si, como tem acontecido com as limitações à utilização dos espaços de faculdades por alunos de outras faculdades.

Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto?

Mais espaços comuns às diferentes faculdades, onde a academia se possa reunir, permitindo a troca de conhecimentos e experiências, favorecendo também a multidisciplinaridade, como o e-learning Café.

Como prefere passar os tempos livres?

A ler (livros, jornais, revistas), a viajar e com amigos, a debater.

Um livro preferido?

As Benevolentes, de Jonathan Littell.

Um disco/músico preferido?

Tantos, mas tendo de escolher um escolho um do Norte: GNR – Popless.

Um prato preferido?

Tripas à moda do Porto.

Um filme preferido?

Big Fish.

Uma viagem de sonho (realizada ou por realizar)?

Percorrer por terra toda a América do Sul, do Mar das Caraíbas até à Terra do Fogo, ainda por realizar.

Um objetivo de vida?

Saber que, com contributo meu, ajudei nalgum aspeto a tornar o mundo um lugar melhor.

Uma inspiração? (pessoa, livro, situação…)

Winston Churchill.

Que aspirações futuras para a SdDUP?

Aumentar a participação internacional, em termos de quantidade e números de torneios, para o que precisamos de conseguir aumentar a comparticipação financeira aos nossos debatedores, também para que ninguém seja excluído deste tipo de participação com base em qualquer tipo de discriminação financeira.