Joaquim Silva Gomes

Joaquim Silva Gomes é Professor Aposentado do Departamento de Engenharia Mecânica (DEMec) da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) e foi recentemente distinguido, pela European Association for Experimental Mechanics (EuraSEM) com um dos seus mais destacados prémios, o Award of Excellence.

Presidente da Associação Portuguesa de Análise Experimental de Tensões e Mecânica Experimental (APAET) e um dos fundadores do Laboratório de Ótica e Mecânica Experimental (LOME), Silva Gomes acredita no incentivo ao trabalho de grupo e equipa e sonha com uma solução na Engenharia Mecânica que pudesse devolver a mobilidade a todos que a perderam. Acredita também que a cooperação é a chave do desenvolvimento.

– Idade?

66 anos.

– Naturalidade?

Vila Nova de Gaia.

– De que mais gosta na Universidade do Porto?

Das pessoas boas, sinceras e tolerantes.

– De que menos gosta na Universidade do Porto?

Das outras pessoas.

– Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto?

Incentivar o trabalho em grupo e valorizar a criação de equipas multidisciplinares.

– Como prefere passar os tempos livres?

Com a família, a brincar de agricultor, na “quintinha” em Avintes.

– Um livro preferido?

O Sermão de Santo António aos Peixes, do Padre António Vieira. Um texto notável que ilustra a imaginação, habilidade oratória e poder satírico do autor, ao louvar algumas das virtudes do ser humano e censurar com severidade os seus vícios mais perversos.

– Um músico / disco preferido?

Richard Clayderman (nome artístico do pianista francês Philippe Pagès). Música deliciosa para ouvir no trabalho ou nos momentos de descontração.

– Um prato preferido?

Ameijoas estufadas, com o molho picante que só a minha mulher sabe fazer.

– Um filme preferido?

Casablanca, de Michael Curtiz (1942), com  Humphrey Bogart e Ingrid Bergman.

– Uma viagem de sonho?

Continuo a sonhar dar a volta ao continente africano num jipe, com a minha mulher e alguns amigos.

– Um objetivo de vida?

Estar sempre de bem com a minha consciência.

– Uma inspiração?

O meu Pai, pelos valores que me transmitiu.

– Uma mensagem que gostasse de enviar à comunidade U.Porto?

A cooperação é a chave do desenvolvimento. A liderança é efémera e há que perceber quando deve ser dado lugar aos mais novos.

– Um feito que gostava de alcançar na área da engenharia mecânica?

Devolver a mobilidade física a todos aqueles que a perderam.