João Teixeira Lopes

Licenciou-se em Sociologia na Faculdade de Letras da Universidade do Porto em 1992 e, a partir daí, o caminho de João Teixeira Lopes nunca mais se separou da FLUP, nem da Sociologia. É  esse percurso de mais de 20 anos que acaba de ser distinguido com as Palmas Académicas do Estado Francês, condecoração que reconhece o contributo ativo do docentena divulgação da cultura francesa, nomeadamente no domínio da sociologia.

Atual Professor Catedrático na Faculdade de Letras, João Teixeira Lopes concluiu o mestrado em Ciências Sociais no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. Doutorou-se em Sociologia da Cultura e da Educação (1999) com a Dissertação (A Cidade e a Cultura – Um Estudo sobre Práticas Culturais Urbanas (Porto, Edições Afrontamento, 2000). Além de colaborar com o Observatório das Atividades Culturais, é autor de vários artigos de investigação no caompo da sociologia, tendo dedicado os seus últimos trabalhos às recentes vagas de emigração qualificada para França.

Fora do campo académico, foi programador de Porto Capital Europeia da Cultura 2001, enquanto responsável pela área do envolvimento da população e membro da equipa inicial que redigiu o projeto de candidatura apresentado ao Conselho da Europa. Representou o Bloco de Esquerda como deputado à Assembleia da República (2002-2006). É também membro do Instituto de Sociologia da FLUP e Vice Presidente da Associação Portuguesa de Sociologia. Com tudo isto, os tempos livres são poucos mas, os que tem, são passados de preferência “junto ao mar”, talvez a sonhar com a viagem à Índia que ainda lhe falta realizar…

– De que mais gosta na Universidade do Porto?

Da pluralidade de formações, culturas organizacionais, áreas de conhecimento e modos de ver e entender o mundo. Gosto ainda particularmente do fato de termos muitos alunos estrangeiros e também com mais de 23 anos, algo que acrescenta dinâmica aos debates nas aulas.

– De que menos gosta na Universidade do Porto?

A dispersão das faculdades e a hegemonia das ideias economicistas, que fazem da gestão e da obtenção de receita um fim em si mesmo e não um meio para dar melhores condições de aprendizagem e de pesquisa.

– Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto?

Substituir as praxes por uma integração social, cívica e cultural efetiva, através de iniciativas bem pensadas, divertidas e ocorrendo ao longo do ano.

– Como prefere passar os tempos livres?

Junto ao mar, sempre.

– Uma viagem de sonho (realizada ou por realizar)?

India (por realizar).

– Um livro preferido?

“Em Busca do Tempo Perdido” (Marcel Proust).

– Um disco preferido?

“This is the Sea”, dos Waterboys.

– Um prato preferido?

Qualquer caril.

– Um filme preferido?

“La Dolce Vita”, de Federico Fellini

– Uma inspiração?

A poesia. A minha mulher.

– Um objetivo na vida?

A igualdade entre os seres humanos e o respeito pelos animais.

– Ganhar este prémio significa…

Um reconhecimento ao estudo sociológico das novas vagas emigratórias.

  • Corália Vicente

    Parabens João!!!