Estudante da U.Porto brilha em concurso de comunicação de ciência

Apresentação final de Sofia Oliveira teve como tema a equação matemática que pode ajudar a provar a existência de civilizações extraterrestres.

Será que os extraterrestres existem? E em que medida poderá a Matemática ajudar a resolver esse mistério? Para responder a estas questões, Sofia Oliveira, estudante da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP), precisou apenas de 3 minutos, imaginação q.b. e grande capacidade de comunicação. A mesma que lhe valeu o segundo lugar na a final nacional do FAMELAB, o mais popular concurso internacional de comunicação científica dirigido ao grande público.

Para chegar à grande decisão, disputada a 4 de maio no Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva, a estudante finalista do curso de Biologia da FCUP teve que ultrapassar várias fases eliminatórias. Em cada uma delas, os conhecimentos científicos e a capacidade dos participantes de comunicar os mais diversos temas científicos foram colocados à prova por um Júri presidido por Carlos Fiolhais, Professor Catedrático de Física da Universidade de Coimbra.

No final do concurso, a apresentação de Sofia Oliveira sobre a equação matemática que pode ajudar a provar a existência de civilizações extraterrestres foi apenas batida pelos argumentos de Marta Santos sobre o papel do cérebro na criação e gestão das amizades. A estudante de pós-doutoramento em Física na Universidade de Aveiro garantiu assim um lugar na Final Internacional do FameLab, a disputar no início de junho, no Reino Unido.

Apesar de falhar a final internacional, Sofia Oliveira, que exerce funções de monitora em atividades de divulgação científica vocacionadas para alunos do ensino secundário, leva ainda para casa a experiência obtida numa masterclass sobre comunicação de ciência que juntou os dez finalistas do concurso na Fundação Calouste Gulbenkian. A formação foi conduzida por Malcolm Love, ex-produtor da BBC, formador e consultor do Famelab Internacional, que tem viajado peo mundo realizando workshops nos quais ajuda cientistas e engenheiros a melhor interagir com o público e com os media.

Sobre o FAMELAB 

Criado em 2006 pelo Cheltenham Science Festival, o FameLabganhou expressão mundial com o apoio do British Council, que o expandiu a mais de 25 países concorrentes, da Europa a Hong Kong. Em Portugal, esta competição – destinadaa jovens a partir dos 18 anos, que trabalhem ou estudem em ciência e tecnologia – é organizada desde 2010 pela Ciência Viva e pelo British Council. Em 2014, o Famelab passou a contar com a Fundação Calouste Gulbenkian como parceira na organização do concurso em Portugal.

  • Maria Irene Barros

    Sobre o papel do cérebro na criação e gestão das amizades, não tenho qualquer dúvida, mas fico curiosa sobre a equação matemática que pode ajudar a provar a existência de civilizações extraterrestres, assunto tão questionado. Não desistas Sofia, pois pode ser que chegues Lá.