U.PORTO GENERATIONS – Família Ferraz

Em cima: Maria Fernanda Areias da Cunha Prelada, José Ferraz (pai) e José Ferraz (filho). Em baixo: Maria Manuela Ferraz, Maria Fernanda Ferraz e Maria Ana Ferraz (Foto: Egidio Santos/Universidade do Porto)

Na família Ferraz, a Universidade do Porto nunca fez parte do passado. Os pais, José e Maria Fernanda, e os quatro filhos têm uma ligação que se mantém viva pelas boas memórias e recordações gravadas dos tempos que frequentaram seis das 14 faculdades da U.Porto.

José Ferraz entrou na Faculdade de Economia (FEP) em 1967, tendo terminado o curso anos mais tarde, depois de uma interrupção motivada pela vida familiar. Já Maria Fernanda Areias da Cunha seguiu a tradicional e histórica ligação da família à área da saúde, que começara com o bisavô, formado na Escola Médico-Cirúrgica do Porto, antecessora da Faculdade de Medicina da U.Porto (FMUP). Entra, assim, na Faculdade de Farmácia da U.Porto (FFUP) em 1969.

Três dos quatro filhos do casal Ferraz foram estudantes da U.Porto, em simultâneo. A filha mais velha, Maria Ana, integrou a primeira turma de estudantes de Direito da U.Porto. É, por isso, uma das primeiras licenciadas, no ano 2000, pela FDUP. A irmã, Maria Manuela, optou pela Licenciatura em Artes Plásticas da Faculdade de Belas Artes (FBAUP), que concluiu em 2002/2003. Anos mais tarde, volta à Universidade, desta vez à Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação (FPCEUP), para se tornar mestre em Ensino de Artes Visuais no 3.º Ciclo do Ensino Básico e no Ensino Secundário. Já José, o filho, escolheu o curso de Engenharia Civil, tendo-se licenciado em 2006, pela Faculdade de Engenharia (FEUP).

Finalmente, Maria Fernanda, a filha mais nova do casal, seguiu as pisadas da irmã Maria Manuela e entrou também FBAUP, onde se licenciou em Design de Comunicação, em 2009. Em 2012, torna-se Mestre em Multimédia, pela FEUP.

Falar da família Ferraz implica também mencionar a sua forte ligação ao Orfeão Universitário do Porto. O legado perpetuou-se entre as diferentes gerações e dura até aos dias de hoje. Desde a Tuna Universitária do Porto à TUNAF, passando pelo Grupo de Fados, o Grupo de Pauliteiros de Miranda e o Coro do Orfeão Universitário do Porto, pais e filhos passaram por grande parte dos grupos académicos do OUP. José Ferraz mantém ainda hoje a ligação à Associação de Antigos Orfeonistas da U.Porto (AAOUP).

Conheça outras famílias e histórias U.PORTO GENERATIONS aqui.