U.Porto reforça colaboração com Angola no âmbito da Cátedra UNESCO

Acordo assinado entre Luís Fonseca Nunes, Governador da Província de Huíla, e António de Sousa Pereira, Reitor da Universidade do Porto (Foto: Carlos Pereira).

A Universidade do Porto e o Governo Provincial de Huíla, em Angola, assinaram um acordo de colaboração científica e académica, no âmbito da Cátedra UNESCO Life on Land atribuída à U.Porto e coordenada pelo Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (CIBIO-InBIO).

O acordo assenta na parceria já iniciada em 2018 para estabelecer o futuro Museu / Centro de Ciência e Tecnologia do Lubango, uma ação integrada no plano de trabalhos da Cátedra UNESCO Life on Land e que constitui um instrumento crucial na implementação do programa TwinLab do CIBIO-InBIO em Angola. Assim, após este acordo, pretende-se promover a colaboração entre as partes nos domínios académico e científico e também técnico, social, cultural e económico, tendo em vista o estudo da biodiversidade e a proteção do meio ambiente daquela província angolana.

A Cátedra Life on Land, a primeira cátedra UNESCO na Universidade do Porto, tem precisamente por missão constituir uma rede colaborativa de promoção da investigação científica entre Portugal e seis países da África Austral, com o objetivo de fomentar a ligação da ciência à sociedade, através de iniciativas que, não só permitam dar a conhecer a importância urgente de se preservar a biodiversidade e o património natural, como também promovam a cultura científica em África. Para além de Angola, também Cabo Verde, Namíbia, África do Sul, Zimbabué e Moçambique fazem parte desta rede colaborativa criada pela U.Porto e dedicada à capacitação científica e tecnológica e transferência de conhecimento de instituições académicas e científicas daqueles países.

Recorde-se que em outubro de 2018, uma equipa portuguesa de especialistas nas áreas da engenharia, arquitetura, topografia e museologia viajou até à cidade do Lubango, com o objetivo de avaliar o edifício da antiga estação de comboios da cidade, que viria albergar o museu, dando, assim, mais um passo importante neste projeto, que prevê ainda a criação de dois polos de investigação científica ligados aos temas da biodiversidade, tecnologia dos caminhos de ferro e estudo das dinâmicas sociais desencadeadas pela implantação e desenvolvimento destas infraestruturas.

O acordo foi assinado pelo Governador da Província de Huíla, Luís Fonseca Nunes, e o Reitor da Universidade do Porto, António Manuel de Sousa Pereira, contando ainda a cerimónia com a participação de Nuno Ferrand, Diretor do CIBIO-InBIO e detentor da Cátedra UNESCO Life on Land.