U.Porto junta-se à festa dos Museus na cidade

A Galeria da Biodiversidade é um dos espaços da U.Porto que vão estar de portas abertas ao longo do fim-de-semana. (Foto: Egidio Santos/U.Porto)

Conhecer alguns dos “tesouros” da cartografia pertencentes à Universidade do Porto, explorar o mundos das plantas num dos mais emblemáticos “pulmões verdes” da cidade e descobrir a obra de um dos mais ilustres professores da história da U.Porto. Ao longo deste fim-de-semana, estas são algumas das propostas que a U.Porto lança a toda a comunidade, como forma de assinalar o Dia Internacional dos Museus (18 de maio) e a Noite Europeia dos Museus (19 de maio).

Iniciando o périplo pela Reitoria da U.Porto, as celebrações do DIM 2019 arrancam este sábado, pelas 10h30, com uma visita guiada à exposição “Os Mapas da Academia”, patente na Biblioteca do Fundo Antigo (4.º piso), herdeira das bibliotecas da Aula Náutica, da Aula de Debuxo, da Academia Real, da Academia Politécnica e da própria Universidade. Trata-se de uma oportunidade única para desvendar dezenas de mapas, guias de viagens, atlas, globos e outros tesouros de cartografia antiga, muitos dos quais com mais de 500 anos.

Ao início da tarde (14h00), a “festa” muda-se para os espaços do Jardim Botânico do Porto e da Galeria da Biodiversidade – Centro Ciência Viva do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto (MHNC-UP). Serão esses os palcos de dois workshops que convidam os participantes a aprender algumas noções gerais sobre a composição de um substrato para cultivo, e a observar a morfologia e o habitat natural dos catos e das suculentas que habitam o vizinho Jardim Botânico do Porto. Para o final do dia (ver programa completo), estão reservadas visitadas guiadas ao Jardim Botânico e à Galeria da Biodiversidade, em português (21h00) e em inglês (22h00).

Já no domingo, dia 19, pelas 14h00, os catos e as suculentas voltam a ser protagonistas de um workshop no qual se pretende introduzir os participantes aos processos fisiológicos e ecológicos que condicionam a germinação de uma semente e a como se pode potenciar as vantagens e contornar os problemas através da manipulação ambiental (solo, clima, luz, etc.).

Quem também não faltará à festa dos museus será o Casa-Museu Abel Salazar que, ao longo deste sábado (9h30 às 17h30), organiza um programa de visitas de guiadas e oficinas de gravura gratuitas. Nestas últimas, os participantes vão poder realizar uma impressão de uma gravura em linóleo alusiva a Abel Salazar.

Todas as atividades têm entrada gratuita, podendo algumas estar sujeitas à recolha de senhas no local (workshops) ou inscrição prévia.

Celebrar por toda a cidade

Os diferentes espaços da U.Porto juntam-se assim aos mais de 30 museus que, um pouco por toda a cidade, vão celebrar o Dia Internacional dos Museus e a Noite Europeia dos Museus através de cerca 70 atividades pensadas para dar a conhecer à população as memórias da cidade. Coordenada pela Câmara Municipal do Porto, a programação completa das celebrações no Porto pode ser consultada aqui.

Tendo este ano como tema “Os museus como centros culturais: o futuro da tradição”, o Dia Internacional dos Museus é celebrado desde 1977 por proposta do ICOM – Conselho Internacional dos Museus, que funciona como organismo consultivo da UNESCO. Já a Noite Europeia dos Museus surgiu por iniciativa do Ministério da Cultura e da Comunicação de França, a que aderiram progressivamente os museus de outros países, como é o caso de Portugal.